Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Conexão domiciliar com o mundo

EDUARDO CARLOS PEREIRA | 21/03/2020 | 07:30

“Essa noite eu tive um
sonho de sonhador
Maluco que sou, acordei
No dia em que a Terra parou.”

A canção de Raul Seixas, de 1977 tornou-se real e eu vi-me em férias forçadas. Assisti a “Tubarão”, “Amor em Tempos de Cólera”, a série da Netflix, “Método Kominski“ (para idosos modernos), li “A Peste“ de Camus. E mais uma lista de filmes e livros disponíveis na internet. Mas uma casa é uma casa, não uma prisão domiciliar. Sei a diferença por trabalhar na área de arquitetura.

A notícia de que os “60tões” de setores públicos e privados podem e devem trabalhar de casa surpreende a rotina. No código de obras isso era só pra costureiras. Agora “liberou geral”? (Como dizem nos celulares, rsrs).

Periga termos aquela aplicação fácil de que você envia seus dados, suas senhas e seus cartões e depois descobre que foi roubado. Atenção para não ficar sem nada e com dívidas totais.

A verdade que não contam é que a estratégia está correta, mas nas condições que temos no Brasil. Outros países tiveram testes rápidos para todos, mas aqui não. Por isso o isolamento social é a prioridade.

A casa não é prisão domiciliar, nem tampouco ilha da fantasia. Deve ser um refúgio para o equilíbrio e a solidariedade. Se não temos testes para todos, o número de casos ainda não é exato.

Vai haver um baque também na economia – ainda mais na economia popular, ligada à milhões sem direitos trabalhistas, os vulneráveis serão mais ou menos atingidos. Depende de usarmos o refúgio para pensar com calma.

A velha canção dizia ainda:
“O comandante não
saiu para o quartel
Pois sabia que o soldado também não tava lá
E o soldado não saiu
pra ir pra guerra
Pois sabia que o inimigo
também não tava lá.”

EDUARDO CARLOS PEREIRA é arquiteto e urbanista, autor do livro “Núcleos Coloniais e Construções Rurais”. Foi presidente do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Jundiaí (Compac), de 2008 a 2011, e conselheiro do Compac, de 2014 a 2016. É membro do Icomos – Conselho Internacional de Monumentos e Sítios


Leia mais sobre |
Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/conexao-domiciliar-com-o-mundo/
Desenvolvido por CIJUN