Opinião

Dor nas costas


Vocês já perceberam que a dor aparece em nossas vidas, como uma professora, que precisa ensinar um assunto "chato" e o aluno não está muito interessado em aprendê-lo? Essa professora chamada Dor pode ter dado vários sinais para te alertar, mas você não deve ter dado muita atenção a ela. Uma vez instalada, ao olharmos para trás, em alguns casos, conseguimos lembrar certos toques que a Dor nos deu afim de abrir nossos olhos e evitar o pior. Mas você olhou para ela com atenção e ouviu seus conselhos, que vêm através de intuições? Para começar o assunto, uma coisa que geralmente acaba em dor nas costas é a permanência na posição sentada. Vamos refletir um pouquinho sobre isso? Nesta era digital, tudo nos propicia diminuição dos movimentos, já repararam? De alguns anos para cá, fazemos cada vez menos movimentos em nossas atividades diárias. Há controle remoto, portão eletrônico, e por aí vai. Mas o fato de permanecermos h0oras sentados é que é a grande questão para coluna. Quando sentados, nossos quadris e glúteos, que ficam apoiados na cadeira, fazem com que nossa coluna entre numa posição de flexão, levemente arqueada (uns mais outros menos), cedendo à ação da gravidade. Nossos glúteos são inutilizados fazendo com que o quadril se projete à frente. Mas saibam que o quadril é a grande base de suporte da coluna. Nossa coluna torácica (a parte do meio e superior das costas) apresenta uma curvatura natural parecida com uma "corcunda", porém ela é acentuada e sofre enquanto estamos sentados, se você cede à ação da gravidade. Longos períodos na mesma posição fazem com que nossa cabeça se projete à frente, piorando ainda mais a curvatura torácica e agredindo nossa coluna cervical. Essa combinação de disfunção do quadril e da coluna cérvico-torácica por má postura e imobilidade, faz com que a coluna lombar (parte inferior das costas) sofra muito. A coluna lombar foi designada para manter nosso tronco ereto (Kendall, 1993), mas quando usada exclusivamente para deixá-lo alinhado, dependendo da sua anatomia, ele pode torna-se excessivamente retificada ou com uma curvatura excessiva (lordose lombar). Esse comprometimento a longo prazo, aliado ao sedentarismo ou ao esporte que você pratica, pode resultar em graves comprometimentos dos discos intervertebrais (como por exemplo hérnias de disco), compressões nervosas, degenerações da estrutura vertebral e dos tecidos que a circundam, por exemplo. Para prevenção, não basta apenas fortalecer. A coluna sofre muito quando suas emoções não estão equilibradas, o estresse está passando dos limites e a dieta está fora do controle. Tendemos a nos contrair para nos proteger. Então, reflita um pouquinho sobre a origem da sua dor e comece a tomar as providências. Muita saúde a todos. LICIANA ROSSI é educadora física formada pela ESEF Jundiaí; pós-graduada em treinamento físico pela Unicamp e ginástica corretiva pela FMU-SP; exercícios corretivos pela Academia Nacional de Medicina Esportiva – NASM/USA; CHEK Practitioner nível 2 Califórnia/USA; Holistic Life Style Coach/CHEK Institute/USA. [caption id="attachment_3671" align="alignnone" width="3216"] Liciana Rossi[/caption]

Notícias relevantes: