Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

EGINALDO HONORIO: A Verdade

EGINALDO MARCOS HONORIO | 15/02/2019 | 07:30

Ontem participamos de uma entrevista, onde Eduardo “Festa” – Presidente do Conselho da Comunidade Negra, Isabela Galdino – Assessora de Promoção da Igualdade Racial de Jundiaí e eu, tratamos de tema relacionado as demandas e desempenho de atividades dos organismos e andamento da reformulação da primeira Lei de cotas para ingresso de trabalhadores no âmbito do Município, da qual tive a honra de ajudar a construir na condição de primeiro presidente do Conselho, e cumpre informar que estamos trabalhando há bastante tempo para consertar, reformular e alcançar texto final que, confiamos, será aprovado pela Câmara Municipal nos próximos dias.
Eduardo Festa e eu, logo após a entrevista, conversávamos na esquina da Rua Siqueira de Morais com Rangel Pestana onde, como de costume, abordados por várias pessoas das quais um advogado -que o tenho no mais alto posto de respeito – em meio ao bate papo, disse que, em vista do que exponho nesta Coluna, sentiu-se no dever de me defender, pois um Colega, ao criticar minhas manifestações, recebera em resposta: “O Eginaldo está errado?”, na sequência disparou: “Se você me provar que ele está errado, acompanharei suas criticas”. Fiquei emocionado com os informes: a uma porque confirmo que muitas pessoas leem esta Coluna; a duas pela defesa e a três pela educação e tratamento respeitoso que esse colega sempre teve para comigo.
A defesa mencionada foi marcante e confirma o mascaramento do trato das questões raciais, vez que é muito comum o discurso contrariando a defesa pela busca da igualdade e que há muita perda de tempo ao mostrarmos as maldades e abusos praticados injustificadamente contra os integrantes da Comunidade Negra. Ao tratarmos desses assuntos, pessoas se arvoram e, visando manter ou não admitir praticas racistas, criticam ! Os ataques e estratégias incutidas na população é gritante e descabida, posto que ao se manter o preconceito de que negros não são capazes, que são malandros, preguiçosos e mais tantos outros temas pejorativos não ajuda a Nação crescer, em razão da maldosa exclusão por tais requisitos. A história sempre foi contada pelo branco. Hoje o negro se coloca enquanto protagonista passando a contar a história e verdade sob sua ótica e isso, estranhamente, incomoda algumas pessoas!
O caminho para eliminar essas maldades se inicia na escola. É com educação verdadeira, sem preconceitos e com material pedagógico honesto é que tais abusos se eliminam. Com indicação da importância e grandes feitos praticados pelos negros em todo o mundo, sem se perder na acintosa e dirigida proposta forçando, por exemplo, que os negros são apenas descendentes de escravos e que essas pessoas não tinha cultura, conhecimento e até alma! Basta, e não é difícil mudar esse quadro, passando a demonstrar e provar que são descendentes de reis, rainhas, imperadores, mestres, sacerdotes, que dominavam a mineralogia, a metalurgia, a matemática, a medicina, a agricultura e pecuária, sistemas urbanos, engenharia e etc. e que são tão iguais quanto aos outros, pos a única diferença é a cor da pele e nada mais. “Todos nós temos talentos diferentes, mas todos nós gostaríamos de ter iguais oportunidades para desenvolver os nossos talentos. (John Kennedy)

EGINALDO MARCOS HONORIO é advogado e membro do Conselho Municipal da Comunidade Negra de Jundiaí – eginaldo.honorio@gmail.com

Eginaldo Marcos Honorio


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/eginaldo-honorio-a-verdade/
Desenvolvido por CIJUN