Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Elisa Carlos: Jundiaienses e a transformação digital

ELISA CARLOS | 18/05/2019 | 07:30

Todos falam de digital, revolução 4.0, startups. E quando se pergunta o que é digital, cada um responde uma coisa diferente. Mas o que não falta na fala do ministro da economia da Finlândia, (o país mais digital do mundo), do David Rogers, (referência no tema), das startups, dos evangelistas de open innovation é o conceito de cooperação. A digitalização provoca um giro de 180 graus na forma como se constrói produtos.

Se antes planejava-se anos nas áreas de P&D, antes de envolver o cliente, hoje a Boticário, por exemplo, prototipa soluções em 3 meses e a Natura envolve o cliente final desde a idealização. Empresas como Mercedez Bens e Unilever buscam startups para soluções mais eficientes para problemas complexos, em vez de investir nos seus P&Ds. Se antes, as ideias eram guardadas a 7 chaves, hoje os livros são escritos em conjunto, como o “transformações exponenciais”, com mais de 200 colaboradores em todo o mundo.

Se antes as políticas públicas eram criadas a partir de agendas definidas pelos governantes, hoje, a Agência Brasileira de Desenvolvimento da Indústria criou o primeiro programa governamental utilizando metodologias ágeis e customercentric. Se antes as indústrias investiam sozinhas em seus maquinários, hoje, a Peerindustry, uma startup, criou uma forma de compartilhamento de unidades industriais ociosas.

Mudou o foco, o caminho. Ontem, a inovação surgia a partir de ideias internas, escondidas em segredos industriais durante anos de desenvolvimento e o cliente era bombardeado por campanhas publicitárias milionárias. Hoje, com a transformação digital, o cliente é o centro, e o ecossistema é a rede. Não se produz nada sozinho e produz-se somente do tamanho, da cor, do formato que o cliente quer.

E Jundiaí nisso? Tai produzindo jundiaienses digitais. Na Boticario, o jundiaiense Felipe faz parte do projeto Botilab. Na Natura, o coordenador de inovação, Leonardo, é jundiaiense. O Guilherme, jundiaiense, é fundador da Liga ventures, a empresa que ajuda a Mercedez Bens, a Unilever entre tantas outras. Eu sou gerente de inovação da Agência Brasileira de Desenvolvimento da Indústria, e também nasci aqui. O Osmar participou da Peerindustry e é jundiaiense e o Renato é um dos 13 brasileiros que colaboraram com o livro transformação digital, também é jundiaiense.

ELISA CARLOS é Jundiaiense, empreendedora pública desde 2016 e digital desde 2009. É responsável pelo programa nacional ‘Conexão startup industria’.

T_elisa_carlos


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/elisa-carlos-jundiaienses-e-a-transformacao-digital/
Desenvolvido por CIJUN