Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Espaço do Cidadão – 02/06/2019

ESPAÇO DO CIDADÃO | 02/06/2019 | 07:30

COPA AMÉRICA DO SUL?

Temos agora em junho, como reparação de um fiasco dos comandados de Tite em 2018, a possibilidade de êxito da seleção brasileira nessa denominada “Copa América”. A rigor, abrange apenas a América do Sul (não vemos ali equipes da América Central, nem do Norte) e uma inesperada presença de outros continentes, as equipes do Qatar e do Japão!

Seria cabível pensar na hipótese de proximidade geográfica, na limitação de países do mesmo continente. Todavia, os dois convidados destoam desse paradigma. Também não vamos apelar a razões políticas ou ideológicas. Seria bobagem achar que é certo convidar uma Venezuela bolivariana, socialista e decadente, e ignorar um Canadá moderno e progressista.

Na verdade, o fanatismo ideológico que separou russos de americanos, em suas Olimpíadas no século 20, deveria estar neutralizado. Pode ser que, em alguns círculos esportivos, as raízes do preconceito chegassem a desprezar países por razões políticas. Marginalizar, por exemplo, o esporte dos Estados Unidos, por sentir raiva daquela “land of the free and home of the brave”!

Mas a estupidez da esquerdinha socialista procurou ignorar historicamente pontos importantes do convívio democrático, como a participação dos americanos na Segunda Guerra Mundial, na qual foram eles os principais agentes da destruição do poder nazi-fascista. Conforme cantávamos na escola primária, ao lado do Expedicionário brasileiro, honrado pelo Guilherme de Almeida, vinha o “Deus salve a América”, o panegírico “dessa gente audaz, que não teme a guerra, mas deseja a paz”!…

Poucos lembram, agora, datas significativas como o Dia 14 de abril, o “Panamericanismo” pregado por Monroe, ou o 6 de junho, famoso “Dia D” da invasão da Normandia, com o principal ataque dos aliados às forças do Eixo. Ou ainda, com maior motivo, o 8 de maio, Dia da Vitória, em que o nazi-fascismo foi definitivamente derrotado. Principalmente pelas tropas dos Estados Unidos. Fica difícil ver, sem indignação, bandos de babacas pelas ruas, com bandeiras vermelhas (que não são as do nosso colorado), xingando de “nazi-fascistas” aqueles que libertaram o mundo dessa praga!.. Por outro lado, motivos, bem diferentes dos geopolíticos, terão mantido a Copa América nos limites do hemisfério Sul. Com aquelas duas honrosas exceções!

Prof. Antônio Luiz Gomes


Leia mais sobre
Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/espaco-do-cidadao-02-06-2019/
Desenvolvido por CIJUN