Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Espaço do Cidadão – 02/08/2018

LEITOR | 02/08/2018 | 05:00

NOTA – DAE JUNDIAÍ: Com relação à matéria de ontem do JJ (“Esgoto no Cecap vaza desde maio”), a DAE Jundiaí informa que nesta quarta-feira (1º) uma equipe retornou ao local e constatou que o vazamento em questão é proveniente de uma rede particular, existente nos fundos do loteamento. Assim sendo, cabe aos moradores o reparo na rede, tendo sido os mesmos orientados neste sentido.

DIMINUEM OS CRIMES EM SÃO PAULO: O roubo a banco diminuiu 45,6%, o latrocínio, 33,5%, roubo de veículos, 17,3%, roubo de carga, 17,1%, roubo, 15,1, homicídio doloso, 10%, furto de veículo, 6,3%, e o furto, em 3,1%. Lembremos que roubo é o ato cometido com violência e o furto é às escondidas. A estatística, divulgada semana passada pela Secretaria da Segurança Pública, traz todas essas reduções, no período de janeiro a junho deste ano.

Na outra ponta, os estupros aumentaram 15,7%. As reduções são atribuídas a esquemas operacionais e ferramentas, como o Serviço de Informação Criminal (Infocrim) e o Registro Digital de Ocorrências (RDO), colocados em operação. Até o aumento dos estupros, um delito de difícil prevenção, pois muitas vezes é consensual, também pode ser atribuído, pelo menos em parte, à melhora no sistema de apuração. O Banco de Perfís Genéticos, operante desde 2015, levou ao esclarecimento de crimes dessa natureza, antes classificados como de origem desconhecida. Houve o caso de um criminoso ser identificado em seis estupros denunciados à Justiça.

A sociedade brasileira evoluiu muito. Viemos de um país eminentemente agrícola até os anos 50 do século passado para uma das 10 economias do mundo que, afora o agronegócio, abriga tecnologia de todos os matizes. Isso movimentou populações e teve consequências boas e más. A segurança pública é o termômetro mais fiel dos problemas vividos pela população. Além de identificá-los, as polícias dispõem de pessoal preparado e ferramentas para mitigá-los. Os números de São Paulo nesse 1º semestre merecem toda a atenção. Podem constituir ponto de apoio para novas e mais conclusivas ações rumo a reduções ainda maiores da criminalidade.

Nunca se deve esquecer, no entanto, que o crime não é fruto de autogeração. Ele decorre de problemas sociais e estruturais. Ao mesmo tempo em que mantêm e equipam as polícias, os governos precisam cumprir suas obrigações para com o cidadão e exigir deste a contrapartida para com o Estado para, dessa forma, chegar a uma convivência harmônica. Infelizmente, estamos num momento em que a demagogia política e ideológica formou uma geração condicionada a clamar por direitos e não afeita a deveres. O ideal será o dia em que as ações policiais sejam desnecessárias numa sociedade em que todos cumpram suas obrigações, para fazer jus aos direitos. A polícia paulista está fazendo a sua parte.
Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/espaco-do-cidadao-02082018/
Desenvolvido por CIJUN