Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Espaço do Cidadão – 03/08/2018

LEITOR | 03/08/2018 | 05:00

FEBRE MACULOSA: Ao contrário do que foi publicado na edição impressa do Jornal de Jundiaí Regional no dia 01/08/2018, a pesquisa acarológica em parques e jardins públicos, realizada pela Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ), não ocorreu em apenas um dia, mas em duas semanas. Essa atividade envolve a colocação de armadilhas com gelo seco em quadrantes, de forma a abranger toda a extensão da área pesquisada.

Ainda é importante frisar que a criança confirmada com a doença foi atendida no Hospital Universitário, permanecendo internada por alguns dias, inclusive em Unidade de Terapia Intensiva, até sua alta hospitalar. O período de maior incidência da doença é entre os meses de junho a outubro, em função da maior concentração das formas imaturas do carrapato-estrela, os principais responsáveis pela transmissão da bactéria “Rickettsia rickettsii”, causador da Febre Maculosa Brasileira (FMB). É sabido que menos de 1% da população de carrapatos pode estar contaminada.

Para que haja a transmissão da bactéria para uma pessoa é necessário que o carrapato esteja contaminado e fique parasitando a mesma por um período mínimo de 4 horas. Por isso, a importância de uma autoinspeção do corpo a cada 2 horas sempre que o indivíduo estiver em áreas possivelmente infestadas como matas, trilhas e locais com a presença de animais (capivaras, cavalos, bois).

A partir da ocorrência de sintomas (febre, dores no corpo e manchas avermelhadas pela pele), a pessoa deve buscar atendimento médico e informar o profissional sobre o parasitismo por carrapato. No entanto, em mais de 40% dos casos positivos de FMB as vítimas não relatam ter visto carrapatos em seu corpo. A febre maculosa tem cura e seu tratamento é razoavelmente simples, devendo ser iniciado ao início dos primeiros sintomas.
Assessoria de imprensa da Prefeitura de Jundiaí

COLUNA DO MARTINELLI: Temos um grupo de pessoas que acompanha e divulga os artigos do Dr. João Carlos Martinelli. Este prima pela qualidade de conteúdo, destacando valores e princípios humanistas. Ao abordar a questão dos idosos no portaljj.com.br no dia 29/7, o Dr. Martinelli coloca a importância de desenvolvermos uma cultura de respeito aos idosos, não só pela experiência que podem transmitir, mas como reconhecimento pelo muito que fizeram. Por isso mantemos essa parceria de leitura. Sem dúvida alguma, temos que devotar aos mais velhos gratidão pelo que construíram e exemplos que passam.
Olga Rebelo


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/espaco-do-cidadao-03082018/
Desenvolvido por CIJUN