Opinião

Espaço do Cidadão - 04/04/2018


ARTIGOS DO PROF. PELLEGRINI E DO DR. NALINI No Dia Mundial da Água, os artigos publicados na página 2 do “Jornal de Jundiaí” (22 de março de 2018) deveriam ser lidos e comentados em todas as escolas. Sob o título “Dia Mundial da Água”, o prof. Carlos Henrique Pellegrini chama a atenção para a necessidade do precioso líquido, cujo consumo vem aumentando de forma assustadora. Diversos países dependem de agricultura afetada por desmatamentos, esgotos, desperdícios e outros problemas, tanto na vida cotidiana quanto na construção e previsão de reservas. O artigo do Dr. José Renato Nalini, secretário estadual de Educação, indaga “O que você faz pela natureza?”, citando o perigo do aquecimento global e as ameaças de todo tipo, como a poluição, na sociedade que utiliza os recursos hídricos como produtos de supermercado, que são retirados sem a devida reposição... Convida, inclusive, os estudantes das escolas brasileiras a participarem da V Conferência Nacional Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente. E encarece a necessidade de participação das escolas e estudantes, que vão “salvar o universo”! Reforça, assim, a otimista afirmação, publicada na mesma página, do secretário do Consórcio das Bacias PCJ, Francisco Lanóz, de que “poderemos evitar o risco da crise hídrica”. Antônio Luiz Gomes - professor aposentado   CUIDAR DA ÁGUA, CUIDAR DO FUTURO Comemoramos no dia 22 de março o Dia Mundial da Água, com muito orgulho, porque o Brasil sediou o Fórum Mundial deste bem natural essencial à vida. O mundo todo esteve em Brasília para discutir formas de cuidar dos recursos hídricos. E se este já é um tema importante, é ainda mais para nós do setor agropecuário. A água é benção. Quando bem cuidada, é fertilidade. Deve ser preservada. Cuidar da água é cuidar de um bem fundamental para a agricultura, é semear o futuro. Nós no Brasil somos privilegiados por possuirmos 13% da água superficial doce de todo o mundo, por termos a terceira maior reserva de água potável do mundo, o Aquífero Guarani. Porém, isso não está perfeitamente distribuído. A disponibilidade não encontra a demanda, o que torna essencial racionalizar o uso da água. 81% da disponibilidade dessa água estão na região do Amazonas, área pouco adensada e povoada. Enquanto isso, o litoral brasileiro tem 45% da população e apenas 3% da disponibilidade hídrica. Cuidar da água é uma obrigação de hoje para o futuro. Nós podemos ter uma grande vantagem competitiva e comparativa em relação aos outros países do mundo, por termos reservas de água em abundância, desde que nós preservemos e respeitemos esse recurso natural. Arnaldo Jardim - secretário da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Notícias relevantes: