Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

ESPAÇO DO CIDADÃO: 06/03/2019

ESPAÇO DO CIDADÃO | 07/03/2019 | 04:00

O CARNAVAL

Muito interessante o excelente texto do Dr. João Carlos José Martinelli, sobre a grande festa brasileira que é o nosso Carnaval, elogiado e visto por uma grande parte dos países do mundo. Pelas belezas e marcantes festejos que alegram e mostram maravilhas de carros alegóricos e desfiles sensacionais de artistas e músicas que fazem levantar as enormes plateias ao longo das avenidas e também cordões carnavalescos em muitas cidades brasileiras. De origem muito velha, há milhares de anos ligando rituais de fertilidade e mudanças das estações. Kevin Mploney, da National Geographic, diz: muitos estudiosos a remetem à Lupercália romana, festival que celebra a primavera, período de orgias e de lutas dos gladiadores. Era considerada pecaminosa pelos primeiros cristãos, transformando em festivais programando para antes da Quaresma, período de 40 dias de jejuns e ritos solenes que precede a Páscoa. Alguns estudiosos dizem que surgiu com adeptos da deusa Iris, outros homenageando o deus Dionísio, ou dedicando a Baco, Lupércio e Saturno.
Sou cidadão jundiaiense desde o meu nascimento em 1936, morando nessa época com meus pais e irmã sete anos mais velha que eu, numa pequena casa na rua Marechal Deodoro da Fonseca, vizinha ao número 845, no terreno de propriedade da saudosa e respeitável família Lucato. Sendo assim, participei e presenciei muitos Carnavais da nossa querida Jundiaí. Havia também os desfiles de blocos e os animados bailes nos salões muito bem decorados por artistas da nossa cidade e aquelas músicas que ficaram na nossa memória. A nossa praça da Catedral Nossa Senhora do Desterro, era um local de muito respeito, reunindo famílias, jovens no clima do romantismo, durante bom tempo de alegrias circundando o nosso inesquecível chafariz. As festividades do Carnaval de ruas nunca adentravam o recinto da nossa praça onde o respeito e a consideração era ponto de orgulho do nosso povo, ali estava e está a nossa Catedral, antes era a Matriz de N. S. do Desterro onde fomos batizados, unidos em matrimônio, vivendo momentos de elevação espiritual nos festejos comemorativos, religiosos e nacionais com rojões e bandas de músicas! A praça, outrora respeitada, se transformou em recinto de aglomeração de foliões carnavalescos, sons altíssimos de bumbos, deixando o acesso dificultoso da família jundiaiense aos portões da Catedral. Era sábado de Carnaval, os jovens merecem se divertir, mas quem quer assistir e participar de uma missa, seja de 7º dia ou de rotina, também tem o direito de adentrar sem o perigo e com segurança, a nossa Catedral. Qualquer país ou cidade que haja o respeito pelo patrimônio de cultura e preservação de culto religioso e direito de ir e vir com tranquilidade do cidadão, é dever dos responsáveis de governança da cidade prever e manter respeito ao ambiente que é um local de fé e respeito a Deus e ao cidadão jundiaiense!
Adão Antônio Motta

ESPACO DO CIDADAO


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/espaco-do-cidadao-06032019/
Desenvolvido por CIJUN