Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Espaço do cidadão – 07/04/2019

DA REDAÇÃO | 07/04/2019 | 07:32

ESQUERDA? DIREITA? VOLVER!…
Foram meus professores de Educação Física, no ginásio do Colégio São Luiz, em São Paulo, os tenentes Rennó e Ariston (este último talvez seja lembrado pelos velhos são-paulinos). Os mestres militares nos colocavam em ordem unida, e nos ensinavam a manter distância e marchar direitinho, ao comando de “Ordinário, marche!” sem errar o lado que se indicava: “Direita – ou Esquerda” volver! Hoje esse comando estaria sujeito a confusões! Pois o próprio Ministro das Relações Exteriores declarou que o Nazismo (sempre considerado de “direita”) é uma ideologia de esquerda. E ele realmente não está errado. Refiro-me ao teor ideológico hegeliano no regime de Adolf Hitler. Em 1919, o ex-soldado da Primeira Guerra, frustrado pintor austríaco, iniciava seu movimento político, que exterminaria seis milhões de judeus, sob o nome de “Deutsche Nationalsozialistiche Arbeitpartei”, ou seja, Partido Nacional SOCIALISTA dos Trabalhadores da Alemanha” (NSDAP). Depois, tratado simplesmente como “Nazista”!
Além de uma leitura mais densa do Joachim Fest, principal biógrafo de Hitler, todo aquele que busque raízes do comportamento nazista e dos comunistas soviéticos ou maoístas, igualmente despóticos, deveria ler uma obra curta e analítica a propósito: “Junho de 1941 – Hitler e Stalin”, de John Lukacs (Ed.Zahar). Evitaria a infantilidade comportamental dos que, muitas vezes nem mesmo nascidos na época da Segunda Guerra, aparecem vociferando contra militares ou governistas sob a alcunha de “fascistas”. Ignoram ainda o sentido do termo, pois ele deriva de uma lenda na qual o velho comandante reuniu seus súditos e lhes mostrou como as varas se quebravam, uma a uma. Em seguida juntou-as num feixo e tentou fazer o mesmo: não conseguiu. Destarte, o feixe passou a ser chamado, no latim, “fascio”, donde o termo “fascismo” que o italiano ditador Benito Mussolini adotou na campanha na década de 20!
Desconhecimento da História e da origem de termos como “Direita” e “Esquerda”, na verdade ligados às reuniões após à Revolução Francesa, nas quais burgueses teriam lugar mais à direita, e os “sans-culottes” mais à esquerda, frequentadores das redes sociais tentam desqualificar adversários políticos com insultos, dos quais nem mesmo sabem a origem. O gordo Jô Soares diria, com muita razão: “A ignorância desta juventude é um …espanto”!
Antônio Luiz Gomes

ESPACO DO CIDADAO


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/espaco-do-cidadao-07042019/
Desenvolvido por CIJUN