Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Espaço do Cidadão – 21/08/2018

LEITOR | 21/08/2018 | 04:50

COLUNA DO MARTINELLI: Na Coluna do Martinelli no portaljjcom.br de 19/08, com o título “Dia Mundial da Fotografia”, o autor expõe com muita objetividade o excelente texto informativo na comemoração da referida data, narrando a grande utilidade da fotografia desde seu surgimento, há 176 anos, no dia 19 de agosto de 1839. Dos retratos antigos à modernidade dos dias atuais, as fotografias se constituem fortes instrumentos nas relembranças das nossas vidas, renovando lembranças marcantes de compromissos, votos e muitos sonhos que nos proporcionaram esperanças.

Ao passar dos tempos os processos foram agregando muitas modificações na vida fotográfica e o manuseio dos profissionais e amadores impondo perfeições na arte de congelar flagrantes visuais nas mais variadas formas e belas recordações de alegria, de tristeza e de encantamentos vividos. A Academia de Ciências da França consagrou o “daguerreótipo”, invento de Joseph Nicephore Niépce, como a primeira máquina fotográfica, comemorando assim o Dia Mundial da Fotografia. Mencionando o ditado popular “uma imagem vale mais do que mil palavras”, confirma- se que um flagrante alegre ou chocante, visto com olhos e arquivado em nosso cérebro, é sujeito a dúvidas e aceitação mesmo sendo real.

Uma foto famosa da história e alvo de muitos estudos e admiração é aquela dos onze trabalhadores almoçando sentados em uma viga de construção tirada em setembro de 1932, no 69º andar, a 256 metros de altura, em pleno ar e sem cintos de segurança, na construção do prédio que viria a ser o Edifício RCA no Rockefeller Center, em Nova York. Constata- se que a imagem é real mas… Depois de 70 anos, historiadores acusaram que a cena foi alvo de montagem.

Na atualidade, contamos com aparelhos de alta tecnologia, celulares, computadores, câmeras digitais ou analógicas presenteando nossos dias com fotos carinhosas familiares, sociais, os “selfies” marcantes em nossas lembranças e infinitos sentimentos. Completando o valioso e brilhante texto, o dr.João Carlos José Martinelli esclarece que a maioria dos fotógrafos prefere ver o mundo com os olhos das suas almas. As fotos tornam- se verdadeiras obras artísticas individuais ou coletivas, de acordo com as emoções que despertam. Muito obrigado, dr. João Carlos José Martinelli.
Adão Antônio Motta


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/espaco-do-cidadao-21082018/
Desenvolvido por CIJUN