Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Espaço do Cidadão – 23/08/2018

LEITOR | 23/08/2018 | 04:50

COLUNA DO MARTINELLI: Somente o Dr. João Carlos Martinelli para falar tão bem sobre a importância e os encantos provocados pelas fotografias em seu artigo publicado no portaljj.com.br no último domingo (19) sobre o Dia Internacional que lhe é dedicado naquela mesma data. Conforme ele expressou, através dela conseguimos voltar ao tempo, relembrar momentos de diversão, tristezas, alegrias, amor, carinho e infinitos sentimentos e lembranças. Prossegue ainda dizendo que quase todos os fotógrafos veem o mundo com os olhos das suas almas, o que as tornam verdadeiras obras artísticas, individuais ou coletivas, de acordo com as emoções que despertam. Muito lindo e verdadeiro isso. Somente escritores inspirados e competentes para transmitirem quadros poéticos como esses.
Laís Arruda Guimarães

FALTA UMA BANCADA DO SERVIÇO PÚBLICO NO CONGRESSO NACIONAL: Segundo dados do IBGE, 12 em cada 100 trabalhadores brasileiros são servidores públicos. Curiosamente, existem bancadas no Congresso Nacional dos mais variados tipos (da bala, do agronegócio, até da Bíblia), mas não há uma bancada que defenda o serviço público. Apesar da relevância numérica e da sua importância, o funcionário de instituições públicas ainda não percebeu a necessidade de votar em candidatos que tenham em suas plataformas ações voltadas para melhorias no serviço público no Brasil.

Não se trata de eleger candidatos que defendam o servidor. Não estou falando do indivíduo, mas daquilo que ele oferece. Quando defendemos o serviço público, estamos defendendo a população que faz uso dos serviços essenciais. Quando o serviço público é atacado, quem perde é o povo, principalmente o mais pobre, que depende do Estado em áreas vitais, como educação e saúde.

Uma bancada que defenda o serviço público teria, por exemplo, se articulado contra a terceirização irrestrita aprovada em 2017, por entender que beneficia apenas um pequeno grupo de empresários e precariza os serviços à população. Essa bancada teria se articulado por entender que os melhores profissionais não devem vir de terceirizadas, mas selecionados via concurso público, em que são aprovados aqueles com mais conhecimento. Uma bancada pelo serviço público jamais concederia votos para a proposta da reforma da Previdência.

Não pretendo e nem posso fazer campanha para candidatos, mas posso recomendar, especialmente aos servidores, que confiram se seus candidatos não são investigados na Lava Jato ou se valorizam o serviço público.
Antonio Tuccílio – presidente da Confederação Nacional dos Servidores Públicos (CNSP)


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/espaco-do-cidadao-23082018/
Desenvolvido por CIJUN