Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Espaço do Cidadão – 26/10/2018

LEITOR | 26/10/2018 | 04:00

LEITOR RECLAMA DE POLUIÇÃO SONORA NO ANHANGABAÚ: O som de muitas pessoas falando, buzinas, sirenes, barulho do motocicletas. A exposição diária a todos esses ruídos pode ser muito nociva à saúde. A poluição sonora é um dos maiores problemas ambientais que ocorre nos grandes centros urbanos. Causa vários danos ao corpo, à qualidade de vida das pessoas e, por isso, é considerada um problema de saúde pública mundial. Aqui na avenida Jundiaí, durante a madrugada, acontece muito barulho de motoqueiros e ônibus. Sei que moro em uma avenida movimentada, mas não há descanso aqui, não temos sossego. Principalmente com o barulho das motos. Toda madrugada. É preciso mais fiscalização dos órgãos responsáveis aqui na região.
Cláudio José Ioppi, morador da avenida Jundiaí

Nota da redação: A reportagem entrou em contato com a Polícia Militar (PM) e com a Guarda Municipal (GM) de Jundiaí solicitando mais informações sobre o problema relatado pelo leitor. Ambas as corporações informaram que não têm dados estatísticos sobre ocorrências de barulho registradas na região da avenida Jundiaí. Vale lembrar que para reclamações o cidadão pode contatar a PM no número 190 e a GM de Jundiaí no 153. A ligação é gratuita.

REPERCUSSÃO NAS REDES SOCIAIS: A reportagem “Lojistas jundiaienses dizem que aumento na venda de armas reflete economia” publicada na edição de quarta-feira (24), foi uma das mais comentadas no Facebook do Jornal de Jundiaí. Alguns comentários:

“Penso que não é o reflexo da economia, mas a ausência do Estado cria total insegurança na população que procuram meios de prevenção no caso de possíveis assaltos entre outros”
José Augusto Oliveira, via Facebook

“Pior é que o Estado não está mais garantindo nada: saúde só se tiver um convênio; educação se quiser alguma qualidade vai ter que pagar particular. Acho que uma das poucas coisas que ainda funciona da maquina pública é o sistema de vacinação”
Isidro Pereira Lopes, via Facebook

“Tenho minha arma e nem por isso vou sair atirando em todo o mundo. Juízo em primeiro lugar (uma pessoa apontar o dedo na sua cara não é motivo para sacar uma arma). Arma só se usa quando corremos risco de vida para defesa pessoal”
Dyego Madson, via Facebook


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/espaco-do-cidadao-26102018/
Desenvolvido por CIJUN