Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Fábio Jacyntho Sorge: Aos teus olhos

FABIO JACYNTHO SORGE | 24/04/2018 | 04:01

O filme “Aos Teus Olhos”, da diretora Carolina Jabor, é um daqueles que vale a pena ser visto. Ele trata do tema da pedofilia, contando a história de Rubens (interpretado pelo ator Daniel de Oliveira), um professor de natação carismático e extrovertido que dá aulas para pré-adolescentes em um clube.

Querido por todos, ele se vê em apuros quando um de seus alunos, Alex (Luís Felipe Melo), diz à mãe que o professor lhe deu um beijo na boca no vestiário. Alegando inocência, Rubens é acusado pelos pais da criança e passa a ter que lidar com um verdadeiro linchamento virtual, que tem início através de mensagens de WhatsApp e explode de vez quando chega ao Facebook.

O filme é original na abordagem do tema, pois não revela se, de fato, o abuso ocorreu. E mais: deixa claro o fenômeno do linchamento virtual.

Na verdade, como vivemos em uma sociedade hiperacelerada, não se espera o devido processo e se presume a culpa das pessoas ao invés da inocência.

Assim, basta um mero post no Facebook ou uma matéria em um jornal para que alguém seja considerado culpado de crimes graves, pouco importando se aquele delito de fato ocorreu. Reputações são destruídas em velocidade viral, sem que haja qualquer checagem da veracidade de determinada notícia ou postagem.

É preciso que se tenha em mente que a simples condição de acusado, imputada a alguém, causa muitas vezes danos irreparáveis à reputação e à vida daquela pessoa.

É o emprego perdido, as amizades que vão embora e o olhar desconfiado por onde se passa. E mais, muitas vezes, quando vem a absolvição, ela é noticiada com menos estardalhaço e a reputação arruinada jamais volta ao estado anterior.

Por isso, é preciso responsabilidade ao se apontar alguém como o autor de um crime e muitas vezes paciência para que o processo confirme essa suspeita.

Além disso, é sempre bom lembrar que uma acusação, nem sempre é verdadeira e que somente após a liturgia do procedimento é que podemos afirmar a culpa de alguém.

O filme “Aos Teus Olhos” deixa claro que muitas pessoas fazem julgamentos precipitados, pouco importando se o crime ocorreu, pois o que se busca é linchamento virtual e até físico do protagonista.

E a imprensa tem grande responsabilidade nisso, pois por vezes faz uma cobertura acrítica dos fatos e demoniza acusados, destruindo reputações de modo irreparável.

“Aos Teus Olhos” revela uma realidade autoritária e truculenta, em que certamente não queremos viver, pois todos têm ou deveriam ter direito a um julgamento justo e imparcial.
FABIO JACYNTHO SORGE é defensor público do estado de São Paulo – Vara do Tribunal do Júri – e coordenador da Regional de Jundiaí


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/fabio-jacyntho-sorge-aos-teus-olhos/
Desenvolvido por CIJUN