Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Fernando Bandini: O jornalista mais premiado

FERNANDO PELLEGRINI BANDINI | 09/04/2018 | 02:00

José Hamilton Ribeiro é o nome da fera. Jornalista e escritor, já foi chamado de “o repórter do século”. Tornou-se o maior ganhador do renomado Prêmio Esso de Jornalismo. José Hamilton faturou sete troféus desse que é o mais celebrado prêmio da categoria no Brasil. Conhecido do grande público pelo trabalho à frente do televiso Globo Rural, no ar desde 1980, ele se autodenomina “um caipira”. Quem já viu esse simpático vovozinho à frente das câmeras, tratando com igual respeito e desenvoltura caboclos de pé descalço, fazendeiros graúdos ou cientistas renomados, talvez não desconfie que o sujeito quase morreu numa guerra; que já atravessou a Amazônia; que seguiu a trajetória da laranja, de uma plantação no interior da América do Sul até a mesa de uma família na América do Norte; e que foi um pioneiro na divulgação do Pantanal mato-grossense, um dos biomas mais fascinantes do planeta.

COLUNISTA PROFESSOR FERNANDO BANDINI

As histórias são muitas. Nascido em Santa Rosa de Viterbo, no interior de São Paulo, em 1935, JH mudou-se para a capital nos anos de 1950, a fim de estudar jornalismo. Em 1955, ingressou na profissão para cobrir férias de um repórter da Rádio Bandeirantes. Passou pela Folha de S. Paulo e depois para o Grupo Abril. Em 1962, saltou para a recém-criada Quatro Rodas, revista na qual viria a faturar seus três primeiros prêmios de reportagem por equipe.

CLIQUE AQUI E LEIA OUTRAS COLUNAS DE OPINIÃO DOS ARTICULISTAS DO JORNAL DE JUNDIAÍ

Em 1966, foi ser repórter (e depois redator-chefe) da revista Realidade, considerada por muitos a melhor publicação jornalística brasileira de todos os tempos. Em 1968, embarcou para o Vietnã, a fim de reportar a guerra no sudeste asiático. No seu último dia de cobertura jornalística, acompanhando um pelotão do Exército dos Estados Unidos, pisou numa mina terrestre. Não morreu por pouco, mas teve a perna esquerda amputada. Em 1969, lançou o livro “Vietnã, o gosto da guerra” (ampliado e relançado em 2005, pela editora Objetiva). Com a censura da ditadura militar às grandes publicações, JH comandou jornais do interior paulista. Migrou para a televisão em 1981. Sua história pode ser conferida no livro “O jornalista mais premiado do Brasil”, de Arnon Gomes, publicado em 2015 pela Editora Eko Gráfica. Além de pesquisa e entrevistas bem conduzidas, o volume reproduz uma reportagem de JH para a Realidade. Vale a pena conhecer esse grande brasileiro, profissional gigante, que não chega a 1,80 de altura.

FERNANDO PELLEGRINI BANDINI é professor de Literatura no Ensino Médio


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/fernando-bandini-o-jornalista-mais-premiado/
Desenvolvido por CIJUN