Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Geraldo Gattolini: A modernização da cidade

GERALDO GATTOLINI | 11/12/2018 | 07:30

Quando o arquiteto Vasco Venchiarutti tomou posse no cargo de prefeito de Jundiaí, em janeiro de 1948, trazia a convicção de que a modernização era o único caminho que sua administração deveria percorrer. Logo nos primeiros meses anunciou a abertura da avenida Jundiaí, um marco até hoje na história da cidade. Foi mais longe. Construiu um centro de exposições – o Parque Comendador Carbonari – e o Centro Esportivo Dr. Nicolino de Lucca, além da avenida Jundiaí. Para as dimensões da cidade, poderia parar por aí. Mas foi mais longe. Sem recursos, liderou um movimento junto aos comerciantes e industriais para a construção do viaduto da Ponte, resolvendo um problemão no trânsito. Resolveu levar para o bairro do Anhangabaú a modernidade, abrindo ruas e inclusive doando terrenos. No bairro ainda existem casas populares construídas naquele tempo.
Na década de 1960, enquanto o país entrava em processo de grande expansão, Jundiaí passou por um período de estagnação. Durante dez anos, nenhuma indústria se instalou no município. As ferrovias que no passado foram o carro chefe da economia local entraram em colapso. Das cinco ferrovias existentes no começo do século vinte, restaram apenas duas, assim mesmo com apenas 15 por cento do movimento.
Na década de 1970, novas avenidas foram abertas. Com financiamento obtido junto ao governo federal e contando com rápida liberação dos recursos, foram construídas as avenidas Nove de Julho, 23 de Maio e Imigrantes. Obras complementares que foram feitas nos anos de 1980 a 1982 permitiram dar início às ligações com a futura avenida Frederico Ozanan.
A partir de 1983, um novo surto de modernização teve início. O projeto de despoluição da bacia dos rios de Jundiaí teve aprovação rápida e o início das obras marcou uma nova era para o município. Mas antes disso, a prefeitura teve que fazer através do DAE a construção da nova adutora de águas da represa até a estação de tratamento do Anhangabaú. Foi dado início a um vigoroso plano de pavimentação e a construção do Paço Municipal selou uma antiga reivindicação da Câmara de Vereadores. Em 1988, a cidade ganhou o Paço e logo a seguir um novo Shopping.
A modernização continuou vigorosa. O município entrou no século XXI com muitas etapas conquistadas. De município problemático e com características ultrapassadas, transformou-se num centro dinâmico e moderno.

GERALDO GATTOLINI é jornalista e pesquisador. E-mail: gattolini@uol.com.br

ARTICULISTA GERALDO GATTOLINI JORNALISTA


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/geraldo-gattolini-a-modernizacao-da-cidade/
Desenvolvido por CIJUN