Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Guaraci Alvarenga: Roda da amizade

GUARACI ALVARENGA | 12/04/2019 | 07:30

Parecia mais um dia a se repetir no cotidiano. Abro o facebook para ler o competente comentário do desembargador Soares Levada, a lembrança do Martinelli, o desafio do Adilson Fredo e comentário do Rivelino Teixeira. O convite do amigo Claudio Andrade para o jantar do Rotary. Ligo o radio e ouço o Afonso Pereira falar no meu nome. Leio o Jornal de Jundiaí, digital. Passo no mais doce Orlando Gazolla para comprar um chocolate para minha neta Letícia. Abasteço o carro e encontro o fidalgo proprietário Sergio Del Porto, a política em dia. A caminho do escritório, cruzo com o maior dos romeiros da cidade o Tuto Fabricio, um abraço carinhoso. Theo Conceição do outro lado da calçada me acena com carinho. Tomo meu cafezinho na Tropicana a convite do empresário Vanoil. No escritório, as publicações judiciais. Dirijo-me ao Fórum. Cruzo na Rosário com o cardeal do Lions, Giacomo Zamper, pede que eu escreva um livro de minhas crônicas. Encontro o sempre elegante advogado Edgard de Jesus, entusiasmado com a palestra do Dr. Artur Marques da Silva. Saio do Fórum e entro na loja Kalaf e vejo o Edu pesquisando disco voador. Na volta encontro o Vicentão e o Castro Siqueira, com os taxistas na praça. Almoço no Samir, no ACRE. As boas companhias do Fronzaglia Loboda, Mingo Gaspari, Getulio de Sá. A tarde, tempo de fazer uma audiência trabalhista. Logo em seguida parto para o futebol dos Veteranos no Clube Jundiaiense. Nenê Cardoso entrega as escalações dos times para o treinador. O árbitro Pitico, agora Juiz FIFA, põe ordem na casa. Segundo o saudoso Benoni Pires, veterano não joga com a perna, mas sim com a língua. Vou ao banho na sauna e revejo com alegria o distinto Renato Marcondes, advogado de trincheira Marco Ferreira, empresário Liberato, o “irmãozinho” Pascoal Suenson. Foi logo dizendo a “cervejinha” esta aberta. O apaixonado Bortolini sempre sorrindo. Descemos até a lanchonete. Na famosa “ponta da mesa” um recado do corintiano Viana: petiscos lá em casa para ver o jogo de futebol. Não perdemos a oportunidade. No luxuoso condomínio, a beira da represa, onde mergulha o arco íris, a mansão estava com seu jardim iluminado. Nenê Cardoso recebia os parabéns pelo aniversário. Os petiscos se transformaram em camarões, grelhados, puxados no azeite de oliva, sem acidez. O anfitrião escancarou a excelente adega. Os finos vinhos chegaram à mesa. Fiquei no destilado escocês. A noite se estendeu. Risos e alegrias. Camaradagem inigualável. Cheguei de mansinho em minha casa. Dizem que a bronca da mulher é a mesma em qualquer horário. Caminhei para o banheiro, olhei o rosto no espelho, os olhos sonolentos e disse baixinho: “Bendita é a vida”.

GUARACI ALVARENGA é advogado. E- mail: guaraci.alvarenga@yahoo.com.br

GUARACI ALVARENGA


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/guaraci-alvarenga-roda-da-amizade/
Desenvolvido por CIJUN