Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Guaraci Alvarenga: Venha se perder

GUARACI ALVARENGA | 01/03/2019 | 07:30

Preparem o confete, a serpentina e a fantasia. Deixe a tristeza pra lá. Busque a alegria. Cadê você. Vem pra cá. Vem agitar. Vem meu amor. Venha se perder neste empolgante Carnaval Fantásticos blocos estão pelas ruas da cidade. Olha aí o jubileu de prata do Refogado do Sandi, a alegria do Ponte Torta, a fantástica bateria Trovão Azul do Clube Jundiaiense, o irreverente Afro Kekerê, o inspirador Basta Vir e se Divertir, a mágica Super Poderosa, os foliões do Bloco do Gordo, o envenenado Galo Doido, os entusiastas do Mamãe Eu Quero, o poderoso Continuamos na Nossa, a folia do Agora é Noizzz, os fortes Leões do Povo, a batida precisa do Folia Beats, e a malícia musical do Bloco do Rato. Quer se queira ou não, até ao menos entusiastas, o Carnaval marca no calendário verde amarelo, a nossa maior festa popular. E estão de volta os velhos Carnavais de rua. Por certo, mais alegria e malícia. A cantoria, por conta de todas as idades.
Recordar a composição de Jararaca, a irônica “Mamãe, eu quero”. O grande sucesso popular de Joubert de Carvalho, “Taí, pra você gostar de mim”. O grande Pedro Caetano, com um dos maiores êxitos de 1948, “É com esse que vou”. Como esquecer de “Lata D’Agua”, de Luis Antonio, num dos maiores sucessos do Carnaval. Grandes cantores eternizaram grandes sucessos. “A Jardineira” (Orlando Silva),”Coitado do Edgar” (Linda Batista), “Não Me Diga Adeus” ( Aracy de Almeida), “Chiquita Bacana” (Emilinha Borba), “Tomara que Chova” (Vocalistas Tropicais), “Maria Candelária” (Blecaute), “A Lua é Camarada” (Angela Maria), “Até Amanhã” (Noel Rosa), “O teu cabelo não nega”, Máscara Negra (ZeKeti) e tantos outras memoráveis canções. Salve, salve o pierrô apaixonado e a “perversa” columbina. Há um eterno sopro do amor na música do Carnaval. Restaura em nós, mais que sonhos e promessas perdidas, mas sim os doces momentos vividos, que o tempo jamais ousa apagar. Não pertence ao passado, nem ao presente. Ouve-se na voz de jovens e velhos, porque a canção de amor jamais envelhece. Estas canções refletem toda a beleza, toda a liberdade, que só esta festa pode nós fazer sentir. E assim, por certo, cada folião romântico, há de ter gravada na memória, uma canção carnavalesca no coração apaixonado. Começa o reinado da folia! A alegria e a irreverência imperam neste tempo de fantasia. Este reinado domina as emoções de todas as gerações. Não só pelas nuances de quem viveu momentos inesquecíveis, ou por quem sonha por estes momentos, mas também pela inolvidável trilha sonora de tão belas canções. E por falar em belas canções, deixo aqui a minha, que toque o coração da minha amada.
“Bandeira Branca/Amor/não posso mais/pela saudade, que me invade/eu peço paz/saudade mal de amor, de amor/saudade dor que dói demais/vem, meu amor/bandeira branca/eu peço paz.

GUARACI ALVARENGA é advogado. E- mail: guaraci.alvarenga@yahoo.com.br

GUARACI ALVARENGA


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/guaraci-alvarenga-venha-se-perder/
Desenvolvido por CIJUN