Opinião

Inovação X Experiência


Estive pensando nos empreendedores do passado. Pessoas que empreenderam há 30, 40 anos atrás e hoje, em pleno 2019, seguem fortes no mercado. Empresas que começaram pequenas e sobrevivem há gerações, mesmo com crises econômicas, políticas e avanços tecnológicos. Dizem que a veia empreendedora está dentro de casa, algumas vezes a sucessão acaba sendo orgânica: o avô ensina ao filho e o filho ensina ao neto, mas nem sempre. Há casos que a transição familiar chega com grandes discórdias, um verdadeiro choque de gerações, que pode fazer com que a empresa feche as portas. Quero deixar claro que não acontece apenas em empresas familiares, acontece o tempo todo, em qualquer seguimento, independentemente do porte da empresa. A experiência e a inovação nem sempre andam de mãos dadas, pacificamente para o bem de todos. Alguém com 30 anos de empresa sabe sobre o negócio, conhece o mercado, fornecedores, clientes e quem chega agora, o que conhece? Pois bem, quem chega agora conhece as novas relações e a forma que o mundo vem se conectando e se relacionando. É realmente difícil aceitar “opinião” dessa nova geração criativa e entusiasmada com novidades. Esta postura ousada se choca com a zona de conforto do time que está dando certo. Fato é que precisamos aprender com as gerações. Ambas têm coisas únicas a oferecer e a construir. Para um jovem é importantíssimo ouvir a experiência do mais velho. Ainda que ambos discordem, cada conversa contém anos de estudos, de troca, de observação e de trabalho. Isso pode parecer ultrapassado, mas nunca é descartável. Já os mais jovens chegam ao mercado de trabalho com as novas tecnologias, novas linguagens e um olhar menos viciado e podem contribuir com soluções criativas para o negócio. É um momento de troca, onde ambos podem ensinar e aprender. O importante é não ser arrogante. No ponto de intersecção entre a inovação e a experiência é preciso ter claro quais são os valores pessoais e comerciais. Em empresa familiar, os valores são transmitidos para as gerações de forma natural e em vários casos esses valores se entendem para as organizações. Já para outras empresas, é necessário que a cultura organizacional e que os processos de inovação sejam claros. O importante acima de todas as coisas é garantir um bom clima entre os colaboradores para que possam se sentir estimulados a trocarem experiências. Podemos nos atualizar sem perder a nossa essência. VÂNIA MAZZONI é diretora de RH. Site: www.novarh.com.br / E-mail: [email protected]

Notícias relevantes: