Opinião

Kelsang Chime: Mente pacífica

Quem acha que pode adiar para o futuro o treino em manter a mente pacífica deve refletir. No Tibete vivia um astrólogo famoso por sua grande habilidade de prever o futuro. Um dia, decidiu descobrir quando morreria. Pegou seus livros e mapas e começou a calcular. Para sua total surpresa, descobriu que seria naquele mesmo dia! “Isso é muito estranho” pensou consigo”. Devo ter cometido algum engano nos meus cálculos. Seguramente não vou morrer hoje, estou perfeitamente saudável”. Assim conjeturando, recostou-se contra a aba da janela e começou a limpar a cera de seu ouvido com uma agulha longa de metal que mantinha para esse propósito. “Onde terei errado”, ele pensava, cutucando distraidamente o ouvido. De repente uma rajada de vento abriu a folha da janela, que bateu contra seu braço, o movimento do braço foi tão brusco que a peça de metal atravessou diretamente seu tímpano e perfurou o seu cérebro matando-o instantaneamente. Assim quem pode ter certeza de que a morte não está chegando? Por apego, raiva e ignorância continuamos sendo egoístas e sem saber da lei de causa e efeito, que está funcionando quer queiramos ou não cometemos ações insensatamente, é difícil de entender que nossa vida ruma para a morte a passos largos. Agora não é a hora de sentir raiva nem apego, teremos que deixar tudo pra trás. Esse é o momento exato para decidirmos parar de estarmos negativos e praticar tudo o que é virtuoso. Se não fizermos nada estamos pavimentando a estrada que nos levará ao sofrimento, vida após vida. Precisamos começar a treinar nossos pensamentos e atitudes para que ele sejam sempre virtuosos e positivos. Quando a morte chegar, não teremos arrependimentos e então morreremos em paz. Todos nos somos capazes disso. Para refletir: O inverno está chegando, os dias ensolarados estão se transformando. As folhas das árvores vão começar cair. A chuva avisa que é o fim do verão, ainda temos o outono. O tempo vai passando rapidamente, como poderemos olhar para trás se não fizermos nada? Estamos indo para onde? Quando foi que nos perdemos? Quando foi que o sofrimento dos outros se transformaram em piadas? Será que não conseguiremos amar sem querer nada em troca? Que pena! KELSANG CHIME é monja budista. E-mail: [email protected] [caption id="attachment_2541" align="aligncenter" width="800"]KELSANG CHIME KELSANG CHIME[/caption]

Notícias relevantes: