Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Kelsang Chime: O budismo e o Natal

KELSANG CHIME | 22/12/2018 | 07:30

A essência do Budismo é beneficiar todos os seres vivos, mas para conseguirmos esse intento, precisamos nós mesmos encontrarmos sabedoria primeiro. Hoje nossa maneira de beneficiarmos os outros esta contaminada pelo nosso orgulho e egoísmo, nosso ponto de vista é só nosso e achamos que é o único e verdadeiro. Até quando compramos presentes para os outros, escolhemos o que queremos e ficamos magoados quanto a pessoa que ganhou não fica contente. Essa maneira de resolvermos as coisas não está dando certo, além de não beneficiarmos ninguém, culpamos os outros pela nossa frustração. O Natal é um momento especial do ano, em que cristãos e não cristãos comemoram a alegria e união, o novo renascido. Que seja um bom coração. Não importa muito no que você acredita, o mais importante é ter a intenção de beneficiar os outros. Por isso a vontade de presentear. No Budismo fazemos oferendas com intenção de purificar nossa mente das negatividades que normalmente sentimos, oferecemos aos seres iluminados coisas como: águas puras, flores de lindas cores, fragrâncias que vêm dos reinos celestiais, velas e lamparinas, comidas nutritivas, e sons belos e melodiosos. Podemos imaginar essas coisa e oferecê-las de coração, até oferendas que não têm dono como, nuvens rosadas, por do sol. Árvores de flores e pássaros chuvas que refrescam a alma. Que incrível, tudo pode ser oferecido pela imaginação, ninguém vai ficar sem presente, podemos imaginar também que estamos dando aos nossos amigos, tudo o que eles precisarem, como empregos, saúde e relações harmoniosas. Com essa mente tão virtuosa certamente estaremos em paz, e estaremos felizes. Ninguém é tão pobre que não possa desejar coisas boas pros outros.
Para agradar seu coração, versos de Shantideva.
“Para manter a mente preciosa de bodichitta/Faço magníficas oferendas aos oceanos de boas qualidades./ Os Budas, a joia imaculada do santo Dharma,/E a assembleia de bodissatvas. Sejam quantos forem os frutos e as flores / E todos os tipos de remédios que existam. /Todas as joias do mundo / E águas puras e refrescantes. /Montanhas de joias, florestas / E recantos silenciosos e alegres / Árvores celestiais adornadas com flores / E árvores cujos galhos vergam ao peso de deliciosos frutos. / Lagos e piscinas adornadas com lótus / E o lindo canto de gansos selvagens / Tudo que não tem dono / Em todos os mundos, tão extensos como o espaço.”
E a você, meu querido amigo, leitor, Feliz natal!

KELSANG CHIME é monja budista. E-mail: kelsang.chime.br@gmail.com

MONJA KELSANG CHIMEARTICULISTACOLUNISTA


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/kelsang-chime-o-budismo-e-o-natal/
Desenvolvido por CIJUN