Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Kelsang Chime: O Dia da Iluminação

KELSANG CHIME | 20/04/2018 | 03:00

Em geral, Buda significa “o Desperto”, alguém que acordou do sono da ignorância e vê as coisas como elas realmente são. Um Buda é alguém inteiramente livre de todas as falhas e obstruções mentais. Várias pessoas já se tornaram Budas no passado e muitas o serão no futuro, por meio de treino constante.

O Buda que fundou a religião budista chama-se Shakyamuni. Shakya é o nome da família real no seio da qual ele nasceu e a palavra “muni” significa “o capaz”.

Ele nasceu em 624 a.C na cidade de Lumbini, que na época fazia parte da Índia, mas hoje pertence ao Nepal. Sua mãe foi a rainha Mayadevi e seu pai, o rei Shudodana.

Desde pequeno, ele era muito inteligente e compassivo, vendo que todos os seres vivos estão presos em sofrimento através do ciclo de renascimento e morte descontrolado. Um dia, sentiu grande compaixão e desenvolveu um sincero desejo de libertá-los. Sidarta, como se chamava na época, viu com clareza que só um Buda plenamente iluminado possui a sabedoria e o poder para ajudar efetivamente todos os seres. Então decidiu sair do palácio e se recolher na solidão da floresta, onde se empenharia em profunda meditação até alcançar a iluminação.

Quando seu pai pediu que não partisse, ele disse: “Se puder me outorgar a liberdade permanente dos sofrimentos de nascer, adoecer e morrer, permanecerei no palácio. Porém, se não tiveres poder para tanto, terei que partir e tornar minha vida significativa”.

E assim foi. Depois de muito treino em meditação e concentração, ele triunfou sobre todos os demônios deste mundo, motivo pelo qual tornou-se conhecido como “Buda Conquistador”.

Por ter acordado do sono da ignorância e eliminado todas as obstruções mentais, Buda conheceu perfeitamente o passado, o presente e o futuro de maneira simultânea e direta; não há nada que um Buda desconheça. Além disso, sua compaixão imparcial inclui todos os seres vivos, sem exceção. A função de um Buda é conceder paz a todos os seres vivos, todos os dias.

No dia 15 de abril, comemoramos o Dia da Iluminação de Buda, Nesse dia, fazemos práticas especiais de meditação e jejum. Desenvolvemos o desejo profundo de conseguir também alcançar esse estado mental desperto e poder ajudar todos os seres a encontrarem o caminho da libertação e do sofrimento.

Todos os seres vivos têm o potencial de se transformar num Buda, visto que são capazes de sentir compaixão. Mas como seres humanos, somos mais afortunados em aprender e como isso vai acontecer de maneira completa.

Por causa dessa condição tão rara, podemos praticar os ensinamentos de Buda chamados “Dharma”. Se os colocarmos na nossa vida diária, conseguiremos solucionar todos os nossos problemas internos e externos e alcançaremos a paz interior e a mente serena, para o benefício de todos.

Uma vida significativa é uma vida espiritual e uma vida espiritual é uma vida interior, uma consciência desenvolvida e compassiva. Essa sabedoria está acessível para todos que quiserem aprender aqui no centro budista Kadampa Jundiaí. Todos são bem-vindos.

KELSANG CHIME é monja budista. E-mail: kelsang.chime.br@gmail.com


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/kelsang-chime-o-dia-da-iluminacao/
Desenvolvido por CIJUN