Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Kelsang Chime: Quando me tornar um Buda

KELSANG CHIME | 13/04/2019 | 07:30

No budismo temos o desejo de nos transformarmos num Buda para, desse modo, conseguirmos efetivamente ajudar todos os seres.
Um Buda é um estado mental, é uma mente que elevou ao máximo todas as boas qualidades e se livrou de todas as falhas. Com treino constante e consistente, poderemos nos tornar alguém assim.
Como seres humanos podemos melhorar nossas intenções e consequentemente melhorar nossas ações, sistematicamente.
Melhorar significa perceber e trocar pensamentos negativos por pensamentos positivos.
De todos os pensamentos prejudiciais que temos, o pior chama-se mente de auto-apreço.
Esse pensamento é a fonte de todos os nossos problemas, o auto-apreço sente que a própria pessoa é a coisa mais importante que tem.
Quanto pensamos que a nossa felicidade é a coisa mais importante que tem, trabalhamos para isso, independentemente se vai ou não fazer alguém infeliz.
Criamos ações baseados nesta visão equivocada. Assim quando criamos ações experienciamos seus efeitos.
Buda nos ensina a criar causa de felicidade, praticar virtude e abandonar causas de sofrimento, ações prejudiciais, não por que quer nos assustar, mas por que nos quer longe do resultado dessas ações.
Quando uma mãe explica ao seu filho pequeno os perigos de brincar numa rua movimentada, ela não está fazendo isso para apavorar a criança, ela ensina por compaixão e pela segurança da criança.
Assim são os ensinamentos de Buda.
Versos de Shantideva: “Hoje por exemplo posso estar livre de doenças, bem nutrido e sem angustia. Mas essa vida fugaz é enganosa e meu corpo não passa de um empréstimo efêmero. Se eu me envolver em ações não virtuosas, não obterei de novo um corpo humano e não alcançar a forma humana. Não haverá virtude só negatividade.”

KELSANG CHIME é monja budista. E-mail: kelsang.chime.br@gmail.com

KELSANG CHIME

KELSANG CHIME


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/kelsang-chime-quando-me-tornar-um-buda/
Desenvolvido por CIJUN