Opinião

Kelsang Chime: Um pouco mais de calma


Para situações difíceis precisamos de um pouco mais de calma. Nossos pensamentos aflitos nos pregam a uma forma habitual de reação e para termos uma reação mais positiva, é preciso manter a calma em qualquer situação. O método é desenvolver a paciência de aceitar as coisas que não podem ser mudadas, mudar o que pode ser mudado e ficar calmo independente do resultado. Precisamos de pensamentos de equanimidade. No livro “Novo Manual de Meditação”, Geshe Kelsang Gyatso ensina que o propósito de desenvolver equanimidade ou igualdade é libertar nossa mente de atitudes desequilibradas. Essas atitudes são o principal obstáculo para realizações espirituais, como o amor e a compaixão. Nossos sentimentos em relação aos outros são normalmente desequilibrados e instáveis. Quando vemos um amigo, ou alguém, particularmente atrativo, nos sentimos contentes. Quando vemos um inimigo, ou alguém desagradável, sentimos desprazer. E quando vemos um estranho, não sentimos indiferença. Essas atitudes desequilibradas tiram nossa calma e nossa mente será como um terreno pedregoso cheio de buracos, um loca impossível para crescer um jardim. Primeiro precisamos tirar essas diferenças, afinal agradável desagradável e neutro são sensações, e sensações são estafas mentais. As causas estão na mente, não estão fora, em algo ou alguém. Na contemplação que segue vamos desenvolver uma determinação de interromper essas sensações desequilibradas e desenvolver uma atitude calorosa de proximidade amigável por todos os seres vivos. Contemplamos: Não faz sentido sentir apego por alguém que parece atrativo ou agradável, sentir aversão em relação a alguém que parece desagradável ou sentir indiferença por alguém que não parece nem agradável nem desagradável. Alguém que é agradável pra mim pode ser desagradável para outros, e alguém que é não atrativo pra mim pode ser objeto de apego para outro. E aqueles que me são indiferentes podem ser agradáveis ou desagradáveis para outros. Não há certezas nessa vida. As aparências de atratividade não atratividade e indiferença, são apenas minhas próprias projeções equivocadas e são temporárias, elas tornam minha mente desequilibrada e agitada, esses pensamentos destroem minha felicidade. Depois de contemplar esses argumentos podemos tomar a decisão de interromper essas diferenças. Fazemos essa meditação, mantendo essa firme decisão. No dia a dia, vamos diminuir essas desigualdades e isso nos torna mais equânimes, e assim a nossa mente será mais calma. Não mais haverá base para apego, raiva e indiferença. Nos livraremos desses obstáculos. KELSANG CHIME é monja budista. E-mail: [email protected] [caption id="attachment_2541" align="aligncenter" width="800"]KELSANG CHIME KELSANG CHIME[/caption]

Notícias relevantes: