Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Liciana Rossi: O Sagrado Feminino

LICIANA ROSSI | 09/03/2019 | 07:30

Ainda comemorando o Dia Internacional da Mulher, resolvi expor um tema que vem ganhando espaço, eu diria que é um lindo resgate dos ensinamentos femininos que foram passados através das gerações, de várias raças e crenças, trabalhos de cura, autoconhecimento e empoderamento feminino, O Sagrado Feminino. Há uns 5 anos comecei a ouvir falar a respeito disso, em Ubatuba, por amigas envolvidas neste trabalho de resgate de sabedorias indígenas e medicina Ayurvédica, e foram me mostrando o quão poderoso ele é e como nós mulheres somos poderosas. Confesso que a palavra que sempre me chamou atenção nessa linha foi “empoderamento” feminino. E apesar de nunca ter participado dos encontros promovidos por estas amigas queridas, algo tocou minha curiosidade e venho lendo a respeito do tema à alguns anos.
Antigamente, a mulher possuía um papel sagrado na sociedade por sua capacidade crítica, cuidadora, curadora e por criar uma vida dentro do seu próprio corpo. Isso era cultuado e reverenciado. Décadas se passaram. Por conta do patriarcalismo a mulher foi rebaixada ao trabalho doméstico e cuidados do lar. E hoje, pelas mudanças sociais, mulheres disputam espaço com os homens na sociedade, tendo que conquistar maior reconhecimento e autonomia no mundo, além de todas as tarefas que as acompanham e que nos tornam tão “deusas”, como a de ser mãe e conciliar com isso tudo.
O Sagrado Feminino é um conceito milenar. Hoje em dia há encontros onde mulheres debatem sobre emoções, os ciclos femininos e lunares, rituais sagrados e debatem sobre o papel da mulher na sociedade, mas de uma forma mais interiorizada que o Feminismo clássico, que é algo mais externo e social, que lida com direitos e comportamentos. O trabalho do Sagrado desperta uma nova e fortalecida consciência sobre si mesma, um resgate da essência feminina, que auxilia as mulheres na aceitação e entendimento do próprio corpo, além do poder da feminilidade harmonizando-a com a Natureza e desta forma, percebendo melhor nossos instintos, vontades e ciclos (menstruação, gestação, maturidade). Dizem que o Sagrado ajuda na busca de realizações amorosas, profissionais e sexuais, mas vai muito além disso. Ajuda mulheres a amar sem depender da outra pessoa para viver, através do cultivo do amor próprio, da descoberta da “Deusa” interior e da “Guerreira”, simbolismo da essência mais pura que existe dentro de nós, mulheres. Aliam-se sabedoria e espiritualidade, reintegrando saberes e práticas passadas, priorizando tudo aquilo que nos integra ao presente e nos sintonizando com o futuro da experiência feminina. Honrar a energia feminina, isso o Sagrado vem ensinando-nos, além do poder de controlar nosso corpo a partir das fases da lua e de entender a variabilidade das emoções que caminham junto com os nossos ciclos. Autoconhecimento, empoderamento e cura. Isso é o Sagrado Feminino.

LICIANA ROSSI é educadora física formada pela ESEF Jundiaí; pós-graduada em treinamento físico pela Unicamp e ginástica corretiva pela FMU-SP; exercícios corretivos pela Academia Nacional de Medicina Esportiva – NASM/USA; CHEK Practitioner nível 2 Califórnia/USA; Holistic Life Style Coach/CHEK Institute/USA

Liciana Rossi

Liciana Rossi


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/liciana-rossi-o-sagrado-feminino/
Desenvolvido por CIJUN