Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Liciana Rossi: Por que os médicos indicam exercícios?

LICIANA ROSSI | 25/08/2018 | 05:30

Para começar a entender o papel da atividade física nos dias de hoje, precisamos voltar um pouquinho e lembrar que o homem, ao longo de milhares de anos de evolução, era muito ativo. No tempo das cavernas, caçava e comia pouco. Foi nômade, andava muito e foi evoluindo, porém houve uma redução importante na quantidade de movimento na vida diária devido à chegada da tecnologia. E tudo se inverteu. O homem moderno se movimenta pouco, trabalha sentado, estressado e come muito.

Como consequência houve uma diminuição na forma física na população do mundo industrializado, com um aumento simultâneo nas doenças cardiovasculares, dentre muitas outras, causando mortes e incapacidades. Este novo estilo de vida foi, portanto, prejudicial para o homem e para toda a sociedade. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), 5,3 milhões de pessoas morrem todos os anos no mundo em consequência da falta de atividade física, 300 mil delas no Brasil.

Os médicos orientam seus pacientes a se exercitar, pois sabem que o sedentarismo está associado a um índice maior de doença cardiovascular. Esta é reduzida em 35% em pessoas ativas, além de reduzir a depressão em 30%, o câncer de mama em 20%, câncer de cólon em 50%, diabetes tipo 2 em 50%. Há ainda problemas reumatológicos, ortopédicos, de obesidade e de aumento da imunidade. Dados do serviço de saúde britânico.

Além de tudo, a atividade física é benéfica para todas as idades, não só por prevenir doenças, mas principalmente por melhorar a qualidade de vida das pessoas. A forma física e a saúde, apesar de não serem sinônimos, são aspectos complementares entre si. Saúde significa ausência de doenças, mas forma física pressupõe ter energia suficiente para executar tudo aquilo que a vida cotidiana impõe sem a dependência de outros. Eu diria que o papel principal do treinamento físico é exatamente este – dar liberdade de optar em ter uma vida com qualidade, livre de dores, buscando contemplar e agradecer a este templo em que vivemos, nosso corpo, e tendo a chance de escolher como treiná-lo. Você tem a opção de ser um atleta profissional, amador ou um praticante que busca saúde e vitalidade, sendo importante a regularidade do exercício.

A Federação Internacional de Medicina do Esporte recomenda um programa regular de atividade física, de 3 a 5 vezes na semana, de 30 a 60 minutos, a mesma recomendação da OMS. Um estudo de Harvard mostrou que praticar exercícios – além destas recomendações – reduz ainda mais o risco de morte. Você ainda vai ficar parado? Muita saúde a todos.

LICIANA ROSSI é educadora física formada pela ESEF Jundiaí; pós-graduada em treinamento físico pela Unicamp e ginástica corretiva pela FMU-SP; exercícios corretivos pela Academia Nacional de Medicina Esportiva – NASM/USA; CHEK Practitioner nível 2 Califórnia/USA; Holistic Life Style Coach/CHEK Institute/USA

COLUNISTA LICIANA ROSSI


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/liciana-rossi-por-que-os-medicos-indicam-exercicios/
Desenvolvido por CIJUN