Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Luiz Fernando Machado: Mais do que trabalho, uma segunda chance

LUIZ FERNANDO MACHADO | 19/04/2019 | 07:30

Cada oportunidade que temos para aprimorar os serviços públicos prestados pela Prefeitura deve ser aproveitada e comemorada. No caso de Jundiaí, mais ainda quando o assunto é zeladoria urbana, pois a limpeza e manutenção da cidade faz parte do dia a dia de cada cidadão, que cobra, com razão, a excelência no serviço.
Assim, devemos dizer que ficamos muito felizes com o convênio que assinamos neste mês de abril junto à Fundação Professor Dr. Manoel Pedro Pimentel. A Funap é vinculada à Secretaria de Estado da Administração Penitenciária, e toca programas de recuperação de detentos. Por este convênio, 70 presos do regime semiaberto da penitenciária de Franco da Rocha auxiliarão nos trabalhos de limpeza urbana, conservação e manutenção de espaços público de Jundiaí. A Prefeitura pagará diretamente à Funap o valor de R$ 998 por mês por cada detento, além de vale-alimentação e vale-transporte. O repasse do valor para o reeducando é de responsabilidade da Funap, assim como os aspectos relativos à segurança e fiscalização do serviço.
Claro que a cidade ganha em força de trabalho em um serviço público essencial. Por outro lado, e tão importante quanto, é o olhar social que está no espírito deste convênio. Todos nós sabemos das falhas do sistema prisional brasileiro – o que deveria, em tese, recuperar o detento para a sociedade, acaba muitas vezes não cumprindo este papel. São criminosos que saem da prisão do mesmo jeito ou até piores. Porém, como cidadãos e principalmente gestores públicos, devemos então cruzar os braços frente a isto e não darmos nossa contribuição para que este quadro um dia mude?
A grande maioria que se manifestou, principalmente pelas redes sociais, foi favorável à iniciativa. E entendemos quem não foi favorável, com o argumento principal do receio de ter à solta detentos em serviço público. Porém, em primeiro lugar, nunca colocaríamos nossa população em risco. Devemos mais uma vez explicar que se tratam de detentos do regime semiaberto, que já podem sair durante o dia, geralmente ocupando-se de uma atividade profissional, e retornam à noite para a penitenciária. Não se trata, portanto, de detentos dos mais perigosos, que permanecem presos.
Voltando ao aspecto social da medida, este convênio representa um passo importante para recuperar as pessoas que de fato querem se recuperar. E isto, quer queira ou não, depende também da sociedade e dos governos. Todos nós temos nossa parcela de responsabilidade, inclusive sobre os que um dia na vida cometeram erros e precisam de uma segunda chance. Se nós comemoramos hoje a oportunidade de reforçarmos o serviço público com este convênio, imagine o que representa esta mesma oportunidade a estes detentos.
E nós acreditamos sim nas pessoas, porque não há outra maneira de construirmos uma cidade, um estado e um país melhor e mais justo para todos. Não tenho dúvidas de que o trabalho é o caminho certo para que as pessoas deem um sentido às suas vidas, e assim contribuam para a construção da sociedade que queremos.

LUIZ FERNANDO MACHADO é prefeito de Jundiaí

Foto: Rui Carlos/Jornal de Jundiaí

Foto: Rui Carlos/Jornal de Jundiaí


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/luiz-fernando-machado-mais-do-que-trabalho-uma-segunda-chance/
Desenvolvido por CIJUN