Opinião

Médicos da alma


Esta semana fui numa palestra para lá de especial. O tema era quase perturbador para uma ignorante no assunto como eu. Vocês já ouviram falar sobre Medicina Paliativa? Eu nunca ouvi falar até conhecer uma médica maravilhosa chamada Joana Rafaela Nunes, e saber por intermédio de uma amiga o que ela realmente fazia. E me chamou a atenção uma médica preocupada em oferecer o máximo de qualidade para aquelas pessoas que eram desacreditadas por terem doenças graves. Coincidentemente, na mesma semana fiquei sabendo que haveria uma palestra sobre este tema na BioNathus, num programa chamado Maestria do Ser, onde pessoas que fazem a diferença falam sobre temas de elevação pessoal e espiritual. E lá fui eu. Eu entendi, a Medicina Paliativa como um abraço no paciente e na família, um resgate da Medicina tradicional. Apesar de cuidar do que não tem mais cura, eles oferecem muita vida, tratando também a alma de todos os envolvidos. A intimidade que está área tem com a morte é algo diferente, uma vez que a medicina luta pela vida. Mas ela lida com a dignidade humana, amparando e cuidando de desconfortos físicos, emocionais, até mesmo espirituais. Para isso, uma equipe multidisciplinar é necessária. Médicos, psicólogos, enfermeiros, nutricionistas, assistentes sociais e voluntários que oferecem uma boa conversa, o seus ouvidos, Reiki, yoga para os que cuidam dos pacientes ou para a família, além de muito amor. Nossa cidade tem este lindo trabalho no Hospital São Vicente de Paulo. E todos podemos ajudar de alguma forma, seja com doações ou mesmo com o voluntariado. Tudo bem, sinto que ninguém gosta de pensar no tema ‘morte’. É um assunto desconfortável, um tabu. Porém, temos que falar sobre isso sim, todos sabemos que partiremos um dia. Que tal olharmos com mais amor para aqueles que já se encontram neste processo? A Organização Mundial da Saúde recomenda os cuidados paliativos como parte da assistência integral ao ser humano. Meu recado para este tema tão profundo é que sintamos compaixão e respeito pelos que estão passando por qualquer doença, para as famílias que passam por esta dor, que possamos oferecer algo de bom para estas pessoas, oferecer nosso amor, sem julgamentos, que possamos refletir sobre a nossa saúde hoje, aproveitando cada momento. E o meu profundo respeito e gratidão a todos os profissionais, ou melhor, ‘Anjos’, que nos ensinam muito com seus atos de amor ao próximo. Muita saúde a todos. LICIANA ROSSI é educadora física formada pela Esef Jundiaí [caption id="attachment_3671" align="alignnone" width="3216"] Liciana Rossi[/caption]

Notícias relevantes: