Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Os ‘lixos’ embalados

LICIANA ROSSI | 14/09/2019 | 07:30

Sei que falar sobre alimentação é complicado, pois envolve a parte cultural, econômica e por aí vai. Mas não posso deixar de expressar minha preocupação tanto na oferta quanto na procura de verdadeiros “lixos” tóxicos, principalmente para as nossas crianças. Eu considero que a combinação de comidas processadas mais ingredientes artificiais em excesso são a fórmula mágica para falta de saúde.

Tenho acompanhado inúmeros estudos sobre alimentos processados e ultraprocessados e nem precisa ser expert no assunto para imaginar qual foi a conclusão de todos eles. Será que alguém imagina que algo empacotado, colorido e artificial seria bom para a sua saúde?

Vou começar pelos refrigerantes e bebidas artificialmente adoçadas. Um estudo logitudinal feito entre os anos 1992 e 2000, publicado no Journal of the American Association, que saiu no caderno de saúde do Washington Post na semana passada, confirmou que este tipo de bebida é péssimo para saúde. O consumo de dois ou mais copos foi positivamente associado à mortes por doenças circulatórias. Para bebidas dietéticas, 1 ou mais copos ao dia, houve associação a mortes por doenças digestivas.

Os aditivos usados nos alimentos processados, se é que podemos chamar isso de alimentos, para realçar o sabor e conservá-los, provocam várias alterações metabólicas, como ganho de peso e resistência à insulina, o que aumenta o risco do diabetes. Alimentos ultraprocessados como biscoitos recheados, salgadinhos e refrigerantes, segundo um estudo entre pesquisadores franceses e brasileiros, feito pela USP, concluiu que há aumento na incidência de infarto e de AVC (acidente vascular cerebral) com o consumo deste tipo de “alimentos”. Fora que o consumo destes produtos está ligado á obesidade, hipertensão, câncer de mama, tumores, síndrome do cólon irritável, asma e depressão. Indícios mais do que suficientes para evitá-los.

Os alimentos ultraprocessados são aqueles que vêm embalados e duram muito, como bolos prontos, sopas em pó, pães, hamburgueres, bebidas prontas, etc. Eles vem prontinhos para o consumo e para destruírem a nossa saúde.

A ideia não é proibir este tipo de alimentos, mas alertar e conscientizar para que a maior parte dos nossos alimentos sejam naturais e que o consumo seja ocasional e em pequenas quantidades.

Atualmente há um resgate maravilhoso do cozinhar, vejo pessoas aprendendo a fazer seu próprio pão, molho de tomates caseiros, bolos, um resgate a alimentação dos tempos das nossas avós. Aproveitem esta moda que veio para ficar, aprendam a fazer seus alimentos, você saberá tudo o que contém neles e terá a opção de deixá-lo mais saudável e ainda adicionar o ingrediente principal e raro nos dias de hoje: o amor. Muita saúde a todos.

LICIANA ROSSI é educadora física formada pela ESEF Jundiaí; pós-graduada em treinamento físico pela Unicamp e ginástica corretiva pela FMU-SP; exercícios corretivos pela Academia Nacional de Medicina Esportiva – NASM/USA; CHEK Practitioner nível 2 Califórnia/USA; Holistic Life Style Coach/CHEK Institute/USA.

Liciana Rossi


Leia mais sobre
LICIANA ROSSI
Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/os-lixos-embalados/
Desenvolvido por CIJUN