Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Palavras vindas do coração

GUARACI ALVERENGA | 28/02/2020 | 07:30

Professor culto, experiente e dedicado aos seus ensinamentos. Aproveitava cada momento de suas aulas a conduzir seus alunos a buscarem o melhor de si e dar valor aos estudos. Insistia nas lições que tudo é parte de ousar e expandir horizontes e que o futuro não pertencia aos fracos do coração.

Teve a ventura de conhecer varias gerações de alunos, criar raízes efetivas de amizade e estima, de saber as preocupações que os afligiam e seus sonhos de juventude. Todavia se lembrava sempre do noticiário no Brasil. Será possível? Não desanimava. Buscava energia para continuar a sua batalha de ensinar e dizia que éramos incapazes de sonhar.

A vida nos ensina que os que pensam somente no dinheiro geralmente não o ganham. Perdem-se boas oportunidades de realização pessoal e deixam de acreditar que o dinheiro virá como consequência. Percebia, no entanto, que a maioria dos jovens,pautava suas carreiras a seguir pelo dinheiro.

Neste carnaval o encontrei: um pouco mais velho, menos taciturno, mas com maior riqueza de conhecimento e cultura. Mantinha ainda a jovem aparência de acreditar na vida. Convidou-me para um café. e notei sua expressão de otimismo, com a vantagem de quem nunca abandonou a carruagem da imaginação. Deixou-se levar pelas recordações das salas de aula e me confessou algo que tocara profundamente a sua vida de professor.

Disse-me, um tanto surpreso e alegre que faz em todo final de ano letivo a pergunta clássica aos alunos: o que desejam ser na vida? A classe se agitou.

A cada resposta deles fazia um comentário de incentivo e replicava se estavam convictos da escolha. Um a um, buscavam viver seus sonhos. Engenheiro, médico, dentista, advogado, economista, arquiteta, marketing, propaganda, veterinário, jornalista e tantas outras profissões. Buscavam, no íntimo, o sucesso financeiro para uma vida melhor. Viagens, carros, casas na praia e tudo que o dinheiro pode alcançar. Eufóricos, não temiam a agonia da escolha nem sequer a solidão da responsabilidade.

O mesmo entretanto observou em certo momento, no meio daquele enorme entusiasmo, que no fundo da sala de aula um jovem estudante permanecia sentado e calado.Intrigou-se com seu comportamento e, sabendo-o inteligente, estudioso e de rara criatividade, pediu silêncio para a classe e lhe dirigiu a palavra. _ – E você meu estimado aluno, seus colegas e eu, gostaríamos de ouvir o que deseja ser na vida.
– Caro Mestre, eu desejo ser feliz.

 

GUARACI ALVERENGA é advogado


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/palavras-vindas-do-coracao/
Desenvolvido por CIJUN