Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Renato Nalini: Missão urgente: Facilitar a vida

JOSÉ RENATO NALINI | 02/05/2019 | 07:30

Algo que prospera a olhos vistos no Brasil de hoje é a miséria. Como há gente vulnerável em busca de dias melhores! Milhões de desempregados ainda acreditam que os empregos voltarão. Grande parte deles, sem condições de empreender, sem qualificação e sem cultura, não consegue enxergar que o mundo mudou. Nada mais será como antes, queira-se ou não, goste-se ou deixe-se de gostar.
Ainda bem que um pugilo de jovens diferenciados se propõe a auxiliar a massa desassistida. E como o fazem? Mediante a criação de startups que ajudam a população no seu complicado e difícil relacionamento com os credores, com o Estado, com a burocracia sufocante.
São os que mantêm fintechs de cunho social. E o que são elas? São startups que empregam alta tecnologia para solucionar questões do setor monetário, promover inclusão de uma camada da população que, sozinha, engrossaria o rol dos insolventes e da sub-economia brasileira.
Estamos falando de uma pobreza crescente. Mais de 80% das pessoas das classes C, D e E, nunca tiveram crédito. São vítimas de empréstimos informais, obtêm financiamento em cartões de loja, a 16% ou usam cartão de crédito, que cobra 11% de juros ao mês.
É urgente que mais jovens se inspirem nesses líderes empreendedores que criaram a KeroGrana, que fornece empréstimo online inclusive para negativados, a Blu365, que negocia dívidas com o intuito de fazer com que o devedor fique 365 dias no azul e não no vermelho, a McGov, que envia SMS com dicas para a saúde financeira e a MEI Fácil, que ajuda na gestão das MEIs, desde o CNPJ à emissão de notas.
Essas fintechs surgiram de mentalidades moças que não se preocupam apenas com “ganhar dinheiro”, mas querem fazer algo que ajude os semelhantes a deixarem essa zona triste da insolvência, da falta de recursos para o essencial e da ausência completa de perspectiva.
Há muito ainda a ser feito. A juventude precisa ser estimulada a enxergar o que se passa em torno dela e a procurar soluções. Não mirabolantes, porém singelas. Não acreditar que a resposta venha do governo. Temos de revigorar a crença no livre-arbítrio, na capacidade de superar óbices aparentemente intransponíveis e confiar na força de trabalho, no protagonismo e na certeza de que a inteligência humana é superior aos desafios.

JOSÉ RENATO NALINI é Reitor da Uniregistral, Docente da Pós-Graduação da UNINOVE e Presidente da Academia Paulista de Letras, gestão 2019-2020.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação


Link original: https://www.jj.com.br/opiniao/renato-nalini-missao-urgente-facilitar-a-vida/
Desenvolvido por CIJUN