Jornal de Jundiaí | https://www.jj.com.br

Maia aceita encontro com Bolsonaro; Confira outros destaques do Pela Ordem

DA REDAÇÃO | 04/04/2019 | 05:02

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que não recusaria um encontro com Jair Bolsonaro, mas que o presidente deve focar nos partidos que estão indecisos com a Previdência. “Claro que convidado pelo presidente eu vou conversar, agora só digo que o assunto que ele está querendo conversar eu já estou defendendo, então o importante é construir a agenda com aqueles que estão indecisos”, disse Maia.

Um acordo entre o senador Fernando Collor (Pros-AL) e a família Bulhões, influente no cenário político alagoano, levou a suplente do parlamentar, Renilde Bulhões (Pros), a assumir hoje o mandato no Parlamento. O ex-presidente da República pediu licença de 122 dias, sendo dois por motivo de saúde e o restante por razões particulares.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu nesta quarta-feira (3) que eventual sistema de capitalização seja associado a alíquotas negativas de Imposto de Renda para pessoas carentes. O ministro afirmou que ouviu reclamações de que a implementação de um sistema desse tipo poderia levar ao pagamento de benefícios menores que um salário mínimo. “Vai ter imposto de renda negativo para quem ganha menos”, sugeriu.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso recorreu ao Twitter para fazer um apelo à sensatez no debate político nacional. O tucano lembrou a polêmica recente na qual se envolveu o presidente Jair Bolsonaro (PSL) a respeito do nazismo e citou também a campanha feita pelo PT em defesa da liberdade para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como sinais de abandono da razoabilidade na política brasileira.

O guru do presidente Jair Bolsonaro (PSL), Olavo de Carvalho, criticou o governador de São Paulo João Doria (PSDB), que afirmou à Folha que não considera importantes as opiniões do escritor. “Só lhe recomendo estudar História para deixar de ser caipira e tomar conhecimento do grande número de patriotas brasileiros que viveram no exterior, a começar pelo próprio fundador do país, José Bonifácio de Andrada e Silva.”

O Senado aprovou nesta quarta-feira (3) em primeiro turno, por 58 votos a 6, a proposta que inclui na Constituição a obrigatoriedade de o governo pagar as emendas parlamentares de bancada previstas no Orçamento. O texto, na prática, engessa as possibilidades do governo de executar a peça orçamentária e, com isso, diminui a margem para remanejamentos. Por se tratar de PEC, ela será submetida a segundo turno de votação.


Link original: https://www.jj.com.br/pela-ordem/maia-aceita-encontro-com-bolsonaro-confira-outros-destaques-do-pela-ordem/
Desenvolvido por CIJUN