Polícia

Decisão da Justiça não sai e 'tarado do lago' é solto em Jundiaí


JORNAL DE JUNDIAI
oco
Crédito: JORNAL DE JUNDIAI

O 'tarado do lago', criminoso que tentou arrastar a estudante Joyce, de 24 anos, para um barraco montado em uma área de mata próximo a um lago na região do bairro Recanto Quarto Centenário, em Jundiaí, no último dia 14, foi detido na manhã desta terça-feira (20), no próprio barraco, por guardas municipais do Tático Motos de Jundiaí. Ele, que tem família residente na cidade, foi conduzido à Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), onde foi reconhecido pela vítima. O investigado é suspeito de pelo menos outros dois ataques semelhantes, no mesmo local.

Convicta de que o caso precisa ser melhor investigado e que o detido precisaria ficar preso provisoriamente, a delegada Milena Galhardo pediu representou pela prisão dele. Porém, a decisão do juiz não havia sido tomada até o cair da noite, ocasionando a liberação do tarado.

Junto com o investigado pelo crime sexual os GMs também detiveram um outro homem, que também foi levado ao DP. Ambos foram reconhecidos como autores de dois roubos, praticado nos arredores do lago, sendo um deles no dia 28 de agosto.

O caso

Após repercussão na imprensa sobre o ataque contra Joyce no dia 14, guardas municipais e policiais militares passaram a patrulhar pela região na tentativa de prendê-lo. As investidas policiais, no entanto, não surtiram efeito, até que na manhã de domingo (18) o tarado voltou a atacar, desta vez uma jovem, a princípio adolescente.

O caso repercutiu nas redes e, noite da última segunda-feira (19), provocou as forças policiais. As duas corporações voltaram a patrulhar o local, sendo que os guardas Michel, Fonseca e Dias conseguiram localizar a detê-lo, na companhia de um comparsa na prática de outros crimes.

Eles estavam justamente no barraco para onde o tarado teria tentado levar suas vítimas. Os guardas foram coordenados pelo subinspetor Vaz, com os guardas Francisco e Patriota, da equipe de Operações com Cães e apoio dos GMs Pierre e Vilson, e Pardini e França.

Depois de ser ouvido pela delegada, e ser reconhecido pela vítima como o homem que a atacou, a delegada solicitou prisão preventiva para a Justiça, mas o juiz não havia se manifestado até o cair da noite, fazendo com que o investigado fosse liberado.

Com o reconhecimento dele e do comparsa, também por crimes de roubo por duas vítimas, ambos foram indiciados por este crime. O comparsa foi liberado e responderá em liberdade.

Mais vítimas

A jovem que sofreu o segundo ataque, no domingo, ainda não registrou Boletim de Ocorrência. Segundo apurou a reportagem ela está assustada e com medo. No entanto, assim como ela, se outras vítimas foram alvos desse homem, de pele parda, 1,70m, magro e cabelo curto (ralinho), pode procurar a DDM para reconhecimento e formalização de denúncia. "Vou ajudar a localizar a outra vítima. Precisamos ter coragem. Quanto mais pessoas o denunciarem, é melhor", disse Joyce.

* A pedido da vítima, que anteriormente havia autorizado, seu sobrenome foi removido da matéria.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: