Polícia

Denúncia de estupro contra menino de 6 anos será investigada em Jundiaí

O crime teria sido cometido por um adolescente de 14 anos e presenciado pelo primo da vítima, de 7


JORNAL DE JUNDIAÍ
Polícia Civil
Crédito: JORNAL DE JUNDIAÍ

A Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) vai investigar denúncia de ato infracional de estupro de vulnerável contra um menino de 6 anos, que teria ocorrido na tarde desta segunda-feira (26), dentro de uma escola desativada em um bairro de Jundiaí. O crime teria sido cometido por um adolescente de 14 anos e presenciado pelo primo da vítima, de 7. A mãe do suspeito, na delegacia, negou que o filho tenha cometido o estupro e também relatou que, apesar da idade, ele possui atraso mental e tem o equivalente a 10 anos.

A genitora da vítima acionou a Polícia Militar depois de chegar em casa, após o trabalho, por volta das 18 horas, e contou que foi abordada pelo seu sobrinho, informando que ele e a vítima brincavam num prédio abandonado, perto de casa, quando presenciou o adolescente ordenando que o primo, de 6 anos, abaixasse o shorts. Na sequência, segundo ele, o adolescente praticou sexo oral na criança. Em seguida, também abaixou o shorts e ordenou que o garoto praticasse sexo oral nele.

A mãe, então, questionou o filho que, chorando e com medo, confirmou a história e alegou que praticou os atos sob ameaça de agressão.

Os policiais então rumaram até a casa do adolescente suspeito e foram recebidos por ele e sua mãe. Neste primeiro momento, de acordo com os PMs, o jovem disse saber o motivo de os agentes estarem em sua residência à procura dele.

Todos foram conduzidos para a delegacia, onde prestaram depoimento. A mãe da vítima reforçou as acusações, de acordo com o que relataram seu sobrinho e filho, enquanto que a genitora do adolescente, reproduzindo o que contou seu filho, negou veementemente o crime, dizendo que ele sequer esteve com a criança nesta data e local. Além disso, acrescentou que ele sofre de atraso mental em decorrência de uma meningite.

Por entender que não houve situação de flagrante e levar em consideração o problema de saúde informado pela mãe do investigado, além da necessidade de investigação e, principalmente, da necessidade de que profissionais capacitados a serviço da DDM ouçam os envolvidos, a delegada Renata Yumi Ono determinou o registro da ocorrência, bem como exame de corpo de delito e coleta de material biológico para eventual confronto.


Galeria de Fotos


Notícias relevantes: