Polícia

Mulher denuncia sobre cavalo enterrado em mina de água entre Jundiaí e Várzea


JORNAL DE JUNDIAÍ
Polícia Civil
Crédito: JORNAL DE JUNDIAÍ

Uma mulher de 52 anos, moradora em Várzea Paulista, procurou a Polícia Civil nesta quarta-feira (11) para denunciar um possível crime ambiental, que teria sido cometido por familiares seus, ao enterrarem um cavalo em uma área de manancial onde existem uma mina de água e um córrego, no bairro Agapeama, entre Jundiaí e Várzea Paulista. A Polícia Civil vai investigar o caso.

Segundo ela, os familiares obtiveram o cavalo há alguns dias, e o animal morreu na última terça-feira (10). Os familiares, então, enterram o animal em um terreno pertencente à família, dividido em três donos.

Em seu depoimento, ela disse que dois dos proprietários não foram avisados sobre a iniciativa em enterrar o animal e que não concorda com tal ato, justamente por incorrer possivelmente em crime contra o meio ambiente. “Não compactuamos com isso, devido ser uma área de manancial e o animal ser de grande porte. Também não sabemos se foi enterrado com critérios exigidos por órgãos competentes, podendo causar algum crime ambiental”.

O delegado José Mário de Lara validou Boletim de Ocorrência, fazendo a observação de que a denunciante deve comparecer ao DP de Várzea Paulista para informar mais detalhes sobre o caso.


Notícias relevantes: