Polícia

Cabeleireiro é executado a tiros em Várzea Paulista

ABRIRAM FOGO Três criminosos abordaram o carro em que estavam Bruno e três amigos e o executaram com pelo menos 8 tiros


DIVULGAÇÃO
Policiais civis de Várzea Paulista e de Jundiaí atuarão em conjunto para tentar prender os assassinos do cabeleireiro que levou oito tiros
Crédito: DIVULGAÇÃO

Três criminosos executaram o cabeleireiro Bruno de Araújo Alves, de 29 anos, na rua Apiaí, na Vila Popular, em Várzea Paulista, na noite de terça-feira (17). Policiais Civis da cidade e da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Jundiaí trabalham conjuntamente para tentar identificar e prender os assassinos, bem como descobrir a motivação do crime.

Segundo apurou a reportagem, Alves estava na companhia de três pessoas, a princípio um homem e duas mulheres quando, ao pararem o carro na rua Apiaí, o grupo foi interceptado pelos criminosos que desceram do carro e abriram fogo contra o cabeleireiro. A vítima, morador da Vila Indaiá, levou pelo menos oito tiros em várias partes do corpo.

De acordo com os amigos da vítima, o trio de assassinos estava a bordo de um veículo Honda Civic no momento do crime. Na tentativa de ainda salvar o amigo, eles acionaram o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar do município.

Enquanto a primeira guarnição irradiava as informações características do carro usado pelos bandidos para outras viaturas, Bruno foi socorrido emergencialmente por uma ambulância a uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Com estado de saúde grave, ele foi transferido para o Hospital São Vicente, em Jundiaí.

Os médicos iniciaram rapidamente os trabalhos para tentar salvá-lo, mas ele não resistiu aos ferimentos e foi a óbito. Pelo menos oito projéteis de três calibres diferentes foram removidos do corpo de Bruno.

No local do crime a PM preservou a área até a chegada da Polícia Civil, que também acionou a equipe de perícia técnica. Os investigadores tentarão conseguir imagens de casas e comércios do entorno para tentar identificar os criminosos.

Quem tiver informações que possam ajudar nas investigações pode ligar para a Polícia Civil, através do 181.


Notícias relevantes: