Polícia

Polícia identifica nova vítima de 'professor' pedófilo na Região

O acusado é professor voluntário de futsal em um projeto social independente


DIVULGAÇÃO
Diório disse que ainda investiga em busca de mais vítimas, e que quem puder colaborar, deve ligar no DP
Crédito: DIVULGAÇÃO

A Polícia Civil de Campo Limpo Paulista já identificou uma nova possível vítima de pedofilia, crime que teria sido cometido por um homem de 26 anos, professor voluntário de futsal em um projeto social independente no bairro São José, preso em flagrante no último dia 13, em sua casa, neste mesmo bairro. A criança, segundo testemunhas, foi abusada durante uma festa, em uma chácara.

A reportagem apurou que o abuso cometido pelo ‘professor’, nesta chácara, foi descoberto por participantes do evento, que o agrediram. O investigado, inclusive, chegou a postar na internet uma foto em que aparece com um olho roxo.

Segundo o delegado do caso, Rafael Diório, não há, por ora, ligação do abuso cometido nesta chácara, com o projeto social independente que ele mantinha no São José. “Já há indícios de abuso contra esta vítima, nesta festa. Inclusive nós já ouvimos as testemunhas”, disse. “Mas a princípio, sem relação com o futebol”.

O caso
No dia 13 deste mês ele foi apreso após denuncia feita pela mãe de um garoto de 12 anos, de que ele estaria armazenando fotos do órgão genial do filho dela, em seu celular.

Momentos antes da detenção, porém, efetuada por Diório e investigador Rogério, ele percebeu que os policiais estavam em sua casa por este motivo e apagou as fotos que estavam em seu aparelho, fato que confessou após ser indagado sobre as denúncias de pedofilia. Contudo, em data anterior, havia enviado estas imagens para uma ex-namorada.

Este garoto era um dos alunos de seu projeto social de escolinha de futebol, independente, destinado a ajudar crianças de 8 a 12 anos. Sabe-se, por ora, que uma quadra de futsal no São José era o principal local utilizado por ele em seu projeto. No entanto, já há indícios de que ele também atuava em outros bairros, situação que ainda está sendo investigada.

Nesta ocasião ele foi indiciado por estupro de vulnerável e pelo ato libidinoso praticado na criança durante o ato de tirar as fotos de seu corpo, fato comprovado através das imagens apresentadas na Delegacia.

Depois de autua-lo em flagrante, Diório representou pela conversão em preventiva, para que a Justiça o mantivesse preso pelo tempo em que durassem as investigações. Porém, a Justiça o soltou no dia seguinte.

Denuncie
Para ajudar com informações ou denúncias, as pessoas devem comparecer na Delegacia de Campo Limpo paulista ou ligar: (11) 4038-1132.


Notícias relevantes: