Polícia

Casos de estupro de vulnerável quase triplicam em janeiro

ABUSO SEXUAL Número assusta ao ser comparado com o janeiro do ano passado. De 5 passou a 13 estupros de crianças


COLABORAÇÃO
Ações previstas para ajudar a coibir a violência contra a mulher na cidade
Crédito: COLABORAÇÃO

O número de casos de estupro de vulnerável quase triplicou em Jundiaí no mês de janeiro deste ano em comparação com janeiro de 2020. De acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (25) pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-SP) foram 13 casos de abuso sexual envolvendo menores de idade.

No mesmo mês do ano passado, dos sete estupros, cinco foram de vulneráveis.

De acordo com a delegada Milena Fernandes Gallardo, titular da Delegacia da Mulher de Jundiaí, esse cenário precisa ser estudado. "Percebemos que esse aumento de casos é um fenômeno que ocorreu em outras cidades, como Campinas. Precisamos estudar o que está acontecendo de diferente do ano passado, quais variáveis levaram a isso", analisa.

O número de casos de janeiro deste ano representaria percentualmente 23,6% do total de casos de estupro de vulnerável em todo o ano de 2020. Em 2020 houve 72 casos de estupro em Jundiaí, dos quais, 77%, ou seja, 55 foram de vulneráveis.

A preocupação do Ministério Público é a subnotificação, já que com as escolas fechadas as crianças perderam o contato diário e presencial com adultos em quem confiavam, tal como os professores.

Esse pode ser um dos fatores que levaram a esse mês atípico, tal como explicado pela delegada da DDM.

Um estudo realizado em parceria entre o Ministério Público do Estado de São Paulo, a Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) e o Instituto Sou da Paz aponta que a pandemia da covid-19 dificultou as denúncias porque 84% dos registros de estupro de vulnerável feitos no primeiro semestre do ano no estado aconteceram dentro de casa. Com isso, o número de casos que acontecem, mas que não chegam aos ouvidos das autoridades é grande.


Notícias relevantes: