Polícia

Tático flagra julgamento em curso no "tribunal do crime"

FACÇÃO CRIMINOSA Os policiais foram informados de que quatro pessoas foram sequestradas para serem 'julgadas' pela facção


DIVULGAÇÃO
PM intervêm em briga de casal
Crédito: DIVULGAÇÃO

A Força Tática do 49º Batalhão de Polícia Militar do Interior interrompeu um "julgamento" no "tribunal do PCC", na noite de segunda-feira (22), no Jardim São Camilo, em Jundiaí.

Uma denúncia deu conta de que quatro pessoas haviam sido sequestradas pela facção criminosa conhecida como Primeiro Comando da Capital (PCC). As equipes do Pelotão iniciaram as buscas pelas áreas onde sabiam já ter ocorrido esse tipo de "julgamento".

Foi necessária uma incursão a pé pelas vielas para chegar ao local. Vários homens correram ao avistar os policiais, porém dois foram detidos. Um ajudante de 31 anos e um motoboy de 34 anos estavam participando do ato criminoso. Outros três homens eram as vítimas que seriam "julgadas" pelo grupo. Uma mulher também teria sido levada, mas ela não foi encontrada no momento, tendo sido abandonada em uma rua próximo à sua residência, em Campo Limpo Paulista.

De acordo com as vítimas, o julgamento teria sido acionado devido a uma briga entre vizinhos no bairro onde residem, em Campo Limpo Paulista. Um dos homens teria corrido para a residência, porém uma idosa correu atrás dele e machucou sua mão no portão, quando ele o fechou. Ela seria relacionada a um membro da facção, que acionou o "tribunal".

EM 2020

Em setembro do ano passado, o Apoio Tático da Guarda Municipal de Jundiaí foi acionado com uma denúncia semelhante. Duas pessoas estavam sendo levadas para serem executadas pelo Tribunal do Crime, no dia 6 de setembro.

O carro em que as vítimas teriam estado antes de serem mortas foi encontrado na comunidade do Jardim Fepasa, com muitas manchas de sangue no banco traseiro e porta-malas. As vítimas não foram encontradas.


Notícias relevantes: