Polícia

Em Jundiaí, 90% dos casos de estupro são de vulneráveis

AUMENTO Segundo a SSP, casos de abuso sexual aumentaram 25% em janeiro e fevereiro de 2021 em comparação com 2020


DIVULGAÇÃO
Foram 20 casos de estupro em Jundiaí entre janeiro e fevereiro deste ano, sendo 18 de crianças e vulneráveis
Crédito: DIVULGAÇÃO

Jundiaí registrou um aumento de 25% no total de casos de estupro que ocorreram em janeiro e fevereiro deste ano, em comparação com o mesmo período em 2020. Além disso, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP), crianças foram as vítimas dos abusos em 90% dos casos. Na Região, Louveira teve 500% mais casos, já Itupeva e Campo Limpo não registraram ocorrências de abusos nesses meses.

Foram 20 estupros, sendo 18 de vulneráveis, nos dois primeiros meses deste ano só em Jundiaí. Em 2020, foram 15 casos, sendo 10 envolvendo crianças. Vale lembrar que neste período ainda não havia isolamento social em decorrência da covid-19.

Já em Louveira, em 2020 ocorreu apenas um caso, mas em 2021 foram seis vítimas de estupro. Jarinu também teve um aumento na taxa desse crime, de dois para três casos no comparativo entre os dois anos. Várzea Paulista manteve os mesmos dados do ano anterior, cinco vítimas de abuso sexual.

Em Cabreúva de quatro caiu para um estupro e em Itupeva e Campo Limpo Paulista de dois casos registrados entre janeiro e fevereiro de 2020 caiu para nenhuma ocorrência.

SUBNOTIFICAÇÃO

Além do aumento de estupros na maioria das cidades da Região, ainda há a subnotificação. O isolamento provocado pela pandemia do novo coronavírus criou ainda mais dificuldades para que fossem feitas denúncias de crimes de violência sexual contra crianças e adolescentes e pode ter ajudado a aumentar a subnotificação de casos. Foi o que revelou o relatório Análise de Ocorrências de Estupro de Vulnerável do estado de São Paulo, feito pelo Instituto Sou da Paz, o Ministério Público de São Paulo e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e divulgado em dezembro.

"A ideia [do relatório] era entender por que os registros [de denúncias de estupro de vulnerável] diminuíram neste primeiro semestre de 2020. E a gente observou que, na verdade, não houve uma diminuição das ocorrências, mas das denúncias nesse período de isolamento social", disse Cristina Neme, coordenadora de projetos do Instituto Sou da Paz.

AMERICANA

A Delegacia de Investigações Gerais de Americana desenvolveu Operação Policial nesta quarta-feira (7) para prender um criminoso, condenado a 12 anos de reclusão por estupro de vulnerável. O estupro ocorreu no ano de 2017 no bairro Cidade Jardim. Na época, o autor do crime foi flagrado molestando uma criança autista de 9 anos de idade dentro de casa. Após diversas diligências, o autor do crime foi localizado pela equipe da Polícia Civil.


Notícias relevantes: