Polícia

Jundiaí tem 13 acidentes e três mortes no fim de semana

TRAGÉDIA Rodovias que cruzam a cidade registraram 15,9% mais acidentes entre janeiro e março de 2021 do que no ano passado


COLABORAÇÃO-MOTOBOY XORORÓ
Motocicleta e carro colidiram neste domingo, na avenida 9 de Julho
Crédito: COLABORAÇÃO-MOTOBOY XORORÓ

Só neste último final de semana, 13 acidentes ocorreram nas ruas e rodovias que cruzam Jundiaí, deixando três mortos e 15 pessoas feridas. Além disso, um pedestre foi atropelado e morto em Campo Limpo Paulista e nesta segunda-feira (12), uma pedestre foi atropelada no Jardim Santa Gertrudes. Ela precisou ser socorrida pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e encaminhada ao Hospital São Vicente de Paulo.

Um dos acidentes mais graves e que mais causou comoção nas redes sociais foi o que causou a morte da moradora de Jundiaí Liliana de Campos Patrignani, de 30 anos, na madrugada deste domingo (11). Ela pilotava sua moto CG 125 na rodovia Bispo Dom Gabriel Paulino Bueno Couto, no Km 65, quando foi atingida de frente por um Palio, que trafegava na contramão da rodovia. Com o impacto, o carro explodiu matando a motociclista e também o condutor do veículo, que tentou fugir à pé, mas morreu em decorrência das queimaduras no pátio de uma empresa nos arredores.

De acordo com dados das concessionárias Rota das Bandeiras, Autoban e AB Colinas, concessionárias que administram as principais rodovias que cruzam Jundiaí, pelo menos 100 pessoas ficaram feridas e cinco morreram em acidentes nas vias em questão desde o começo deste ano.

De janeiro a março de 2021 foram registrados pelo menos 200 acidentes entre as rodovias Anhanguera, Bandeirantes, Dom Gabriel Paulino Bueno Couto e Engenheiro Constâncio Cintra, um aumento de 15,9% em comparação com o mesmo período em 2020, quando ocorreram 173 acidentes. No entanto, os dados não estão completos já que enquanto as concessionárias AB Colinas e Rota das Bandeiras apresentaram os dados de janeiro a março de 2020 e 2021, a CCR Autoban apresentou apenas os dados referentes ao mês de março.

Apesar do aumento de acidentes, houve uma redução no número de feridos. No período acima descrito foram 100 pessoas feridas e duas mortes em 2021 e 113 feridos e cinco mortes em 2020, uma redução de 11,5% e 60%, entre vítimas feridas e óbitos, respectivamente.

DE JUNDIAÍ A ITU

De acordo com a AB Colinas, concessionárias que administra o trecho Jundiaí a Itu, entre janeiro e março de 2021 houve redução de 1,3% no número de acidentes ocorridos no trecho. Nesse período ocorreram 77 acidentes contra 78 no ano passado. Também durante esses três meses foi registrado 100% de redução no número de vítimas fatais, diminuindo de três para zero. O número de vítimas graves se manteve estável (quatro em cada ano) e o de vítimas leves foi de 30 no ano passado e 35 nesse ano".

DE JUNDIAÍ A ITATIBA

A Rota das Bandeiras informou que entre janeiro e março deste ano foram 33 acidentes, com 18 feridos e duas mortes. No mesmo período do ano passado, ocorreram 26 acidentes, com 13 feridos e uma vítima fatal". Um aumento de quase 27% no número de acidentes e 38,5% no número de vítimas.

AUTOBAN

No sistema Anhanguera-Bandeirantes o aumento de acidentes passou de 30%. Em março de 2021 foram registrados no trecho de Jundiaí do Sistema Anhanguera-Bandeirantes 90 acidentes, com 47 feridos e 1 morte. Em março de 2020, foram registrados no trecho de Jundiaí do Sistema Anhanguera-Bandeirantes, 69 acidentes, com 57 feridos e 1 morte", informou a CCR Autoban.

Ainda em nota, a concessionária explicou que embora observa-se um aumento no total de acidentes, pode-se afirmar que eles foram acidentes com menor intensidade e gravidade, tendo em vista a redução no número de feridos e estabilidade na quantidade de vítimas fatai".


Notícias relevantes: