Polícia

Ministério Público de Jundiaí promove ações de combate às queimadas

A Polícia Ambiental e o MP estadual deflagraram uma operação contra incêndios, mas Jundiaí já vinha realizando ações por conta própria em parceria com a Defesa Civil


divulgação
MP pede para moradores denunciarem queimadas
Crédito: divulgação

A Polícia Militar, em conjunto com o Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP), deflagrada desde a manhã desta segunda-feira (10), a Operação Huracan para prevenir focos de incêndio em vegetações. As atividades estendem-se até a quarta-feira (12). Em Jundiaí, o Ministério Público não tem ações programadas para a operação até o momento, mas, de acordo com o promotor de Justiça Claudemir Battalini, o órgão vem realizando por conta própria um trabalho de combate às queimadas junto com a Defesa Pública de Jundiaí.

Battalini informa ter expedido ofícios para as concessionárias responsáveis pelas rodovias e ferrovias que cruzam a cidade, com o intuito de redobrarem a atenção com a capinagem. "É preciso manter a grama aparada no entorno das rodovias e ferrovias para evitar incêndios. As rodovias da região costumam ser bem cuidadas, nossa principal preocupação é com a ferrovia", destaca.

O promotor de Justiça também afirma contar com a colaboração da população para reduzir os incêndios recorrentes e de grandes proporções. "Quem tem vizinho que sempre faz queimada para limpar o quintal ou que nota que em um lugar sempre há queimadas na mesma época, pode denunciar diretamente ao MP", orienta. Ele pede que as denúncias sejam feitas com o máximo de detalhes para que uma investigação possa ser iniciada.

Foi esse o caso de uma granja no Horto Florestal, em Jundiaí, onde após diversas denúncias o MP realizou uma intervenção que reduziu drasticamente os incêndios. Caso recente, os incêndios no Moinho de Jundiaí também estão em investigação no Ministério Público, para avaliar se foram incêndios criminosos ou causados por negligência.

 

Operação Huracan

A Polícia Militar, em conjunto com o Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP), deflagrada desde a manhã desta segunda-feira (10), a Operação Huracan para prevenir focos de incêndio em vegetações. As atividades estendem-se até a quarta-feira (12).

A denominação da ação faz alusão à mitologia maia, que define Huracan como o deus responsável por catástrofes naturais com a invocação de elementos como o vento, fogo e terra. Como objetivo a prevenção dos focos de incêndio a operação, consequentemente, visa a minimização dos impactos que estes incidentes acarretam à saúde da população.

Os trabalhos são desenvolvidos por meio de 450 militares integrantes do Comando de Policiamento Ambiental (CPAmb), além das equipes do Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente (Gaema), da PMESP e do MPSP, respectivamente.

Entre as ações previstas, destacam-se as orientações a proprietários e produtores rurais quanto às medidas de prevenção, como a manutenção dos aceiros nos canaviais, e os planos de prevenção contra incêndio nas margens de rodovias, ferrovias, zonas de amortecimento de unidades de conservação e outros pontos de vulnerabilidade.

A operação tem forte componente didático, uma vez que se iniciam as ações de educação ambiental nas redes sociais como forma de conscientização de toda a população, com alertas para a não soltura de balões e cuidados com cigarros às margens da via.

Ainda há avisos sobre o perigo de realizar queimadas e acender fogueiras perto de matas e em dias de vento, orientações para a não soltura de fogos de artifícios próximo às áreas de vegetação, para não jogar lixo em terrenos baldios e não permitir que crianças façam uso de fósforo, isqueiros ou materiais inflamáveis.


Notícias relevantes: