Polícia

Com medo de filho violento, mãe pede socorro à Polícia Militar


DIVULGAÇÃO
O homem foi preso por violência doméstica e porte de arma
Crédito: DIVULGAÇÃO

Idosa de 62 anos precisou pedir socorro à Polícia Militar com medo de ser agredida pelo filho violento, de 37 anos, em Campo Limpo Paulista, nesta segunda-feira (30).

A mãe já possui uma medida protetiva emitida pelo Poder Judiciário contra o filho, por ter sido ameaçada de morte por ele no final do ano passado.

Na noite desta segunda-feira, ela ligou para uma das filhas relatando que o autor tentava entrar em sua casa a todo custo, desferindo socos na porta e nas paredes.

A equipe do 49º Batalhão de Polícia Militar do Interior atendeu ao chamado e precisou usar algemas para conter o agressor, que estava descontrolado. Na delegacia de Campo Limpo Paulista, a autoridade policial determinou a prisão em flagrante por descumprimento de medida protetiva.

Além disso, a Polícia Civil também encaminhou o caso para o Ministério Público local, a fim de resguardar a segurança da mãe.

OUTROS CASOS

Criança de 12 anos gritou pela janela pedindo socorro porque o pai estava agredindo a mãe, na noite de sábado (29), também em Campo Limpo Paulista.

Guardas municipais foram destacados para atender a ocorrência de violência doméstica em uma residência do bairro São José 2. Quando a equipe chegou ao local, presenciou a criança gritando pela janela.

Os guardas pediram para a criança abrir a porta. Ela contou que o pai trancou ela e a mãe dentro do imóvel e que a mãe estava "presa" no banheiro.

Quando os agentes chegaram à cozinha da casa, o morador de 41 anos investiu contra a equipe, segurando uma garrafa de conhaque. Muito violento, ele entrou em luta corporal com os policiais e precisou ser algemado.

Depois de imobilizar o marido, os guardas atenderam a mulher, que apresentava lesões. O agressor foi preso em flagrante.

Em Jarinu, uma mulher de 48 anos também precisou chamar a polícia, após ser agredida pelo marido, um jardineiro de 47 anos, neste fim de semana.

Quando os guardas de Jarinu chegaram, encontraram a mulher com vários ferimentos no corpo. Diante da situação, foram até a residência e realizaram a prisão do jardineiro, que foi conduzido até a Delegacia de Polícia Civil da cidade.

A vítima contou que há muito tempo sofre violência doméstica, mas tinha medo de denunciar o marido. A delegada determinou a prisão em flagrante do agressor sem fiança, ficando à disposição da Justiça.

 


Notícias relevantes: