Polícia

Forças de segurança fecham cerco contra o tráfico em Jarinu

CRIMINALIDADE De janeiro a maio de 2020 houve um aumento de 67% nas ocorrências que envolvem tráfico de entorpecentes em Jarinu


DIVULGAÇÃO
GM também tem apertado o cerco, usando inclusive drone nas ações
Crédito: DIVULGAÇÃO

Com 67% mais ocorrências relacionadas ao tráfico de entorpecentes em Jarinu, as forças de segurança estão fechando o cerco contra a criminalidade. A Delegacia de Investigações sobre Entorpecentes (Dise) de Jundiaí tem atuado contra uma célula do PCC, facção criminosa que age dentro e fora dos presídios, para conter a proliferação de armazenamento, distribuição e venda de drogas na cidade. A Guarda Municipal de Jarinu também tem aumentado o patrulhamento ostensivo e fiscalização, inclusive com uso de drones.

A operação mais recente, realizada pela Dise, terminou na semana passada e teve duas detenções em Jarinu. "Uma mulher foi autuada em flagrante e seu filho adolescente apreendido porque armazenavam mais de 4 quilos de drogas para distribuição em pontos de venda da região", explicou o delegado da especializada, Marcel Fehr.

Além de armazenar as drogas, a mulher também fazia o 'leva e trás' de cartas da cúpula do PCC de dentro dos presídios. "Havia contabilidade da traficância e cartas com mensagens oriundas da Cúpula do PCC destinadas aos integrantes que estão em liberdade."

Policiais civis acompanharam a movimentação na residência por algum tempo até efetuar a abordagem. "Os investigadores efetuaram buscas no quintal e encontraram três canos plásticos com tampas em ambas as extremidades, o que chamou a atenção. Dois telefones celulares foram apreendidos também e serão examinados, pois nitidamente há conteúdo relacionado ao tráfico", relata o delegado.

Essa não foi a primeira grande ocorrência no município. Em maio um casal foi preso também armazenando drogas em Jarinu. Na ocasião duas crianças foram recolhidas e encaminhadas ao Conselho Tutelar por estarem no 'meio das drogas'. Em janeiro um chefão do tráfico foi preso em Jarinu. Ele gerenciava a distribuição de entorpecentes na Região e agora comanda o fluxo de dentro do presídio, por isso a Dise tem voltado constantemente à cidade para investigar e fechar novas células da facção que têm surgido mês a mês.

De janeiro a maio de 2020 foram registradas 25 ocorrências de tráfico na cidade, 67% a mais do que no mesmo período de 2021, quando 15 casos foram registrados. Os dados são da Secretaria de Segurança Pública.

CRIMINALIDADE

Não é só o tráfico que tem ocupado a atenção da Polícia Militar, Guarda Municipal e Polícia Civil em Jarinu. De 2020 para 2021 aumentou 200% o total homicídios, 27% o número de carros furtados, 300% mortes em acidentes, 25% os feridos em acidentes de trânsito.

Em abril, o funcionário de uma fazenda no bairro Bom Retiro, em Jarinu, encontrou ossadas enterradas em um terreno. O delegado Adalberto Ceolin, titular do DP de Jarinu, coordenou as buscas e a identificação dos corpos. As vítimas faziam parte de uma facção de Campinas e foram desovadas ali.

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Os casos de violência doméstica também têm chamado a atenção, tanto que a Prefeitura de Jarinu admitiu ter planos de montar uma patrulha Maria da Penha, nos moldes de Jundiaí, para atender as vítimas. Em junho, uma mulher pediu socorro à GM após ter sido agredida pelo marido. Os agentes a orientaram a esperar próximo a um ponto de ônibus e a encontraram bastante machucada. O jardineiro foi preso em flagrante pela polícia municipal.

PLANOS

Em nota, a Prefeitura de Jarinu relatou que foi aprovada na Câmara Municipal a criação do Grupo de Gestão Integrada (GGI) reunindo as forças de Seguranças Públicas, como a GCM, Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Rodoviária, Vigilância Sanitária, entre outras, para intensificar o trabalho na cidade de monitoramento e inteligência.

"A Guarda Civil Municipal adquiriu 10 novos coletes à prova de bala de alta qualidade e resistência superior e aumentou o efetivo nas ruas, que patrulha ostensivamente em regiões com maior histórico de ocorrências."

O Secretário de Segurança Pública, Paulo Izauro, reforça que as ações estão surtindo efeitos. "Estamos em estágio avançado de remodelação da dinâmica de trabalho da GCM e as melhorias já são visíveis, inclusive em números. Mas ainda temos muito para melhorar. Faremos de Jarinu uma cidade modelo no combate à violência".


Notícias relevantes: