Polícia

Cirurgião plástico acusado de abuso sexual de dezenas de mulheres é preso no RS

O cirurgião plástico Klaus Wietzke Brodbeck foi preso em Gramado em investigação de dezenas de abusos sexuais


Foi preso nesta sexta-feira (16), na cidade de Gramado (RS), o cirurgião plástico Klaus Wietzke Brodbeck, investigado sob suspeita de abuso sexual de dezenas de vítimas.

A investigação por crimes contra a dignidade sexual teve início há seis meses, a partir de denúncias de doze vítimas contra o médico, que atende em uma clínica em área nobre da capital gaúcha e tem mais de 90 mil seguidores no Instagram.

Em uma operação desencadeada pela 1ª Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher de Porto Alegre (DEAM/POA) na terça-feira (13), foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão em endereços associados a Brodbeck.

Desde que o caso veio a público, 83 mulheres procuraram a polícia, segundo a delegada Jeiselaure Rocha de Souza, responsável pelas investigações.

Segundo Souza, o médico prestou depoimento nesta quinta-feira (15) e negou todas as acusações.

A prisão preventiva do médico foi decretada pela 2ª Vara Criminal do Foro Central da Comarca de Porto Alegre, após parecer favorável do Ministério Público. A decisão ocorreu após diversas vítimas procurarem a polícia se dizendo coagidas depois que a namorada do cirurgião publicou vídeos em redes sociais proferindo ameaças.

Foram registradas ocorrências policiais e instaurado inquérito policial contra a namorada, que também foi interrogada na quinta-feira. Ela não teve o nome divulgado.

De acordo com a Polícia Civil, que efetuou a prisão, o médico seria conduzido para a DEAM/POA, onde aguardaria uma vaga no sistema prisional.

O caso mais antigo que chegou à polícia teria ocorrido em 2001, segundo a delegada. O mais recente é deste ano. Os relatos vão desde toques, cantadas e ofertas de procedimentos estéticos em troca de favores que ele deixava implícito serem sexuais (que podem configurar crime de importunação sexual ou assédio sexual) até casos de estupro.

Um dos casos investigados pela polícia é um suposto estupro de vulnerável, que teria ocorrido quando a paciente estava sedada. O material relacionado ao caso ainda é objeto de investigação.

Uma ex-funcionária do médico, ainda segundo a delegada, relatou que ele andava nu no consultório, que o ouviu em mais de uma ocasião tendo relações com pacientes e que ele pedia que ela comprasse preservativos e que o filmasse. Nas buscas, foram apreendidos aparelhos eletrônicos.

Em seu Instagram Brodbeck afirma que é formado no Instituto Ivo Pitanguy, membro da SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica) e divulga a bioplastia, procedimento estético de injeção de produtos que pode ser feito em consultório.


Notícias relevantes: