Polícia

Número de mortes no trânsito sobe 52% nas cidades da Região

ACIDENTES Ao todo, de janeiro e julho de 2021, foram 91 óbitos no Aglomerado Urbano de Jundiaí, contra 60 em 2020, sendo que a maioria foi em Jundiaí


DIVULGAÇÃO
Acidente em Várzea Paulista foi registrado nesse domingo e é um dos 91 que aconteceram ao longo desse ano
Crédito: DIVULGAÇÃO

Dados divulgados recentemente pelo Infosiga estimam 91 óbitos nas rodovias e vias municipais das sete cidades do Aglomerado Urbano de Jundiaí (AUJ), entre janeiro e julho deste ano.

Comparado com o mesmo período no ano passado houve um aumento de 52%. Enquanto esse ano foram 91 óbitos, no ano passado, com a pandemia mais restrita foram apenas 60. Já no ano anterior, 2019, quando ainda não havia pandemia, foram 68.

Desse total de óbitos, 56% aconteceram nas vias e rodovias de Jundiaí. Uma jundiaiense de 56 anos morreu na madrugada desta terça-feira (24), no Hospital São Vicente de Paulo. Ela ficou mais de duas semanas internada após sofrer um acidente gravíssimo na Bandeirantes, no dia 7. Contudo, vale ressaltar que, no caso dela, o acidente não ocorreu em Jundiaí.

MAIS ACIDENTES

Os números apontam um aumento intenso de acidentes com óbito, apesar das iniciativas para conter as estatísticas, tal como a instalação de radares, em Jundiaí, que já estão em funcionamento há pelo menos quatro meses, desde 5 de maio.

Em maio também ocorreu o pico de óbitos na Região, com 21 mortes em decorrência de acidentes de trânsito, quase o dobro do que no ano anterior, quando houve 12.

Em nova iniciativa para conter a violência no trânsito, a Unidade de Gestão de Mobilidade e Transporte (UGMT) fará uma Semana do Trânsito, em setembro, com o objetivo de conscientizar os munícipes e reduzir o número de acidentes.

Além de trabalho operacional diário, na fiscalização de trânsito por meio de agentes e equipamentos de radar, a unidade realiza diversas campanhas para aumentar a educação no trânsito, como o Maio Amarelo e a Semana do Trânsito, em setembro.

REGIÃO

Embora mais da metade dos acidentes tenham ocorrido em Jundiaí, a Região também tem dados críticos, com 41 mortes em apenas 7 meses.

Todas as cidades do Aglomerado Urbano de Jundiaí (Cabreúva, Campo Limpo Paulista, Itupeva, Jarinu, Jundiaí, Louveira, Várzea Paulista) foram consultadas pela reportagem do Jornal de Jundiaí, a respeito das medidas que vem sendo tomadas para conter essas estatísticas crescentes. Contudo, apenas Itupeva e Várzea Paulista se posicionaram.

Em nota, a Secretaria de Mobilidade Urbana e Meio Ambiente de Itupeva informou que intensificou as operações de visibilidade com os fiscais de trânsito, a fim de inibir infrações que podem ocasionar acidentes fatais, como o uso do celular no volante, falta de cinto de segurança, entre outros. Além disso, também reforçou a sinalização em vários pontos da cidade."

Já Várzea Paulista manteve o mesmo número de acidentes com morte de 2020, três óbitos em cada ano, mas relembrou o fato de que as pessoas estavam mais reclusas em 2020. A pasta está sinalizando todas as vias públicas da cidade e tem feito uma conscientização como as ações do Maio Amarelo e as que estão previstas para o mês que vem são a Semana do Trânsito e projeto Bem-Te-Vi. Vale lembrar que os números citados acima são bem menores que o total de 11 óbitos de 2019.

A foto utilizada nessa reportagem, por exemplo, é de um acidente registrado neste domingo (22), em Várzea Paulista.

MOTOCICICLISTAS

Dos 91 óbitos em 2021, 77 eram motociclistas, ainda segundo dados do Infosiga. Isso significa que quase 85% das vítimas estavam em motocicletas na hora do acidente, sendo que 70% conduziam as motos e 10% eram passageiros.


Notícias relevantes: