Polícia

Lutador preso por matar homem com 'mata-leão' foi até a casa da ex-mulher para se despedir após crime

O lutador de jiu-jitsu, de 28 anos, que é suspeito de matar um homem com o golpe "mata-leão" no Jardim Santa Gertrudes, em Jundiaí


Divulgação
Mulher é agredida pelo próprio cunhado em Jundiaí
Crédito: Divulgação

O lutador de jiu-jitsu, de 28 anos, que é suspeito de matar um homem com o golpe "mata-leão" no Jardim Santa Gertrudes, em Jundiaí, chegou a ir até a casa da ex-mulher para tentar se despedir dos filhos após o crime, segundo o boletim de ocorrência.

Dener Zulato foi preso em flagrante na segunda-feira (18) após uma denúncia anônima informar à Polícia Militar a localização dele. A vítima, Valdecir da Silva, de 43 anos, foi levada ao Pronto-Socorro, mas não resistiu aos ferimentos.

A ex-esposa de Dener relatou à Polícia Civil que conviveu com o suspeito por quase oito anos e tiveram dois filhos. O suspeito é lutador de jiu-jitsu há quase 10 anos e competiu em campeonatos. Eles se separaram há aproximadamente um ano, depois, segundo ela, que ele começou a usar drogas e "ficar violento".

Ainda de acordo com o depoimento, a mulher tinha uma medida protetiva de urgência contra Dener, que foi concedida em 23 de setembro deste ano.

Conforme o relato da ex-esposa, Dener foi até a casa dela depois do crime, estava nervoso e exigia gritando para que ela abrisse a porta. Ele chegou a chutar a porta, quebrou os vidros e teria ameaçado ela de morte.

A mulher conta que ele pediu para se despedir dos filhos porque tinha feito "coisa errada". Quando Dener percebeu que a vítima estava chamando a polícia, ele fugiu.

Homicídio
Conforme o boletim de ocorrência, Dener relatou que é usuário de drogas e que no dia do crime estava com Valdecir e mais quatro pessoas em um dos cômodos da casa da vítima, na segunda-feira (18).

Em determinado momento, Valdecir teria se desentendido com Dener e pegou uma barra de ferro para agredi-lo. Ainda segundo o registro, Dener conta que tentou se defender e imobilizou a vítima segurando-a pelo pescoço.

Ele afirmou que "daria uma lição em Valdecir para que ele não fizesse isso com mais ninguém". As pessoas que estavam presentes apenas observaram e, depois de um tempo, ele saiu de cima de Valdecir, que ficou imóvel.

O corpo de Valdecir da Silva foi enterrado na terça-feira (19). O caso foi registrado como homicídio, ameaça, violência doméstica e dano no Plantão Policial de Jundiaí.


Notícias relevantes: