Polícia

Operação da PF desarticula esquema internacional de tráfico de drogas


Divulgação
Operação da PF desarticula esquema internacional de tráfico de drogas
Crédito: Divulgação

A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira (25) uma operação para aprofundar a apuração de crimes de lavagem de dinheiro praticados por envolvidos em um esquema de tráfico internacional de drogas a partir do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, interior de São Paulo. As informações são da Agência Brasil.

A Operação Lavaggio 2 é um desdobramento da Operação Overload e visa também identificar bens adquiridos com recursos obtidos por meio das atividades criminosas e os envolvidos que tenham autorizado o uso de seus nomes para a compra dos bens.

Segundo a PF, esta fase das investigações está focada em um dos investigados e seus familiares residentes no Mato Grosso. "Esse envolvido utilizava a logística do Aeroporto Internacional de Viracopos para enviar remessas de grande quantidade de drogas para a Europa, já tendo identificado movimentações financeiras incompatíveis com a renda declarada, além da aquisição de joias, relógios e veículos de luxo, além de apartamentos, empreendimentos imobiliários em São Paulo e uma fazenda em Mato Grosso", diz a PF.

Nesta segunda-feira, policiais federais cumpriram sete mandados de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal em Campinas, sendo cinco em Mato Grosso e dois em São Paulo.

FASES E DESDOBRAMENTOS

A primeira fase das investigações foi a Operação Overload, quando foi constatada existência de uma organização criminosa voltada ao tráfico internacional de drogas operando a partir de Viracopos, envolvendo empregados de empresas terceirizadas, de companhia aérea, integrantes das Forças de

Segurança Pública e estrangeiros em solo europeu. Foram presas 32 pessoas e apreendidos veículos e dinheiro no valor aproximado de R$ 3 milhões.

A Operação AKE, o primeiro desdobramento da Overload, cumpriu sete mandados de prisão preventiva expedidos contra os investigados que compunham parte da organização criminosa, estando estes presos até a presente data.

Na Operação Lavaggio 1, a PF identificou 20 atos de lavagem de dinheiro relacionadas a um dos principais investigados. Nesta fase foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão e sete ordens judiciais de bloqueio de imóveis, com valores acima de R$ 3 milhões.

A quarta fase foi a Operação Airline, quando a PF cumprir 18 mandados de prisão preventiva dos envolvidos e dois mandados de busca e apreensão.


Notícias relevantes: