Polícia

PM liberta vítima de sequestro relâmpago após 12 horas de cativeiro

Dois homens foram presos na ação; vítima teve sua carreta roubada e foi obrigada a passar senhas de cartões bancários e realizar transferências para os suspeitos


Divulgação
PM liberta vítima de sequestro relâmpago após 12 horas de cativeiro
Crédito: Divulgação

Uma equipe da Força Tática da Polícia Militar prendeu dois homens, de 30 e 38 anos, que faziam um motorista de caminhão, de 48 anos, refém, nesta segunda-feira (25), na Vila Leopoldina, na zona oeste da Capital.

Policiais do 4º Batalhão de Polícia Militar Metropolitano (BPM/M) realizavam patrulhamento pela avenida das Nações Unidas, quando avistaram um veículo suspeito, modelo Honda/Civic, que poderia estar atrelado a ocorrências de roubo, e procedeu à abordagem.

No carro, os PMs encontraram três ocupantes, sendo que um deles apresentou muito nervosismo. O fato levantou suspeitas dos militares que, após entrevistarem o trio, descobriram que aquele ocupante era vítima de um sequestro relâmpago.

A vítima contou que foi buscar uma carga na rua José Lourenço, no bairro do Limão, quando foi abordada pelos criminosos que estavam armados e anunciaram que levariam o seu caminhão.

O motorista foi obrigado pelos suspeitos a desembarcar da carreta e a entrar no Honda/Civic, onde foi mantido refém e levado para um cativeiro. O homem relatou ter ficado em poder dos assaltantes, em um barraco, por aproximadamente 12 horas e, neste período, foi obrigado a passar a senha dos seus cartões bancários e realizar transferências. Depois, ele foi colocado novamente no carro dos assaltantes, que foi abordado posteriormente pela PM.

Os dois autores foram presos em flagrante e um deles tentou oferecer um veículo aos policiais em troca de liberdade. O carro em que estavam foi recolhido, assim como uma chave veicular, dois celulares e R$ 769.

Exames periciais foram solicitados e a ocorrência registrada no 91º Distrito Policial da Capital como roubo de veículo, extorsão (sequestro relâmpago), corrupção ativa e adulteração de sinal identificador de veículo automotor, já que o emplacamento e o chassi do Honda/Civic tinham dados divergentes.

Os dois assaltantes tiveram a prisão preventiva solicitada e permaneceram detidos à disposição da Justiça.


Notícias relevantes: