Polícia

Deic de Campinas detém três homens e apreende 1,5 mil rolos de cabos elétricos irregulares

As fabricantes responsáveis pelo material irregular foram identificadas para verificarem as denúncias


Divulgação
Deic de Campinas detém três homens e apreende 1,5 mil rolos de cabos elétrico irregulares
Crédito: Divulgação

A Polícia Civil prendeu três homens, entre 41 e 67 anos, identificados como proprietários de fabricantes de cabos elétricos em desacordo com os padrões exigidos pelos órgãos competentes. As detenções ocorreram durante a operação “Cabo Frio”, deflagrada nesta quarta-feira (1°), nas cidades de Valinhos, Americana e Limeira, nas regiões de Campinas e Piracicaba.

Os trabalhos policiais foram coordenados pela 1ª Delegacia de Investigações Gerais (DIG), da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic) local, após diversas denúncias sobre a confecção de cabos suspeitos.

Por meio de apurações e atividades de inteligência, as fabricantes responsáveis por esse material irregular foram identificadas e os agentes foram até os respectivos endereços para verificarem as denúncias.

Nos locais, os policiais surpreenderam os responsáveis pelas empresas com grande quantidade de cabos elétricos, os quais foram testados com um equipamento que mede a sua resistência.

Como resultado, foi constatado que quase a totalizada dos fios exibia resistência muito superior à permitida pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), podendo causar superaquecimento e incêndios. Os produtos também estavam fora dos padrões estabelecidos pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

Diante dos fatos, 1.500 rolos de cabos elétricos, bem como 25 bobinas de bitolas diversas, foram apreendidos por apresentarem irregularidades e três proprietários de fabricantes presos em flagrante. Eles foram autuados por crime contra as relações de consumo e depois encaminhados à Cadeia Pública para permanecerem à disposição da Justiça.

Riscos da prática

A venda de cabos de qualidade inferior, seja pelo uso de menos fios do que o necessário para alcançar a resistência elétrica necessária ou pelo uso de materiais com capacidade inferior de condução de energia elétrica, simboliza verdadeiro risco à vida do consumidor.

Quanto menor for a resistência elétrica de um cabo, maior será sua condutividade e a eletricidade passará pelo cabo de forma mais eficiente. Quanto maior for a resistência, mais energia se perderá pelo cabo, convertida em energia térmica, fazendo o cabo esquentar e podendo comprometer o seu isolamento – o que pode resultar em incêndios, curtos-circuitos e choques elétricos.


Notícias relevantes: